Covas gastou cinco vezes mais que Boulos na campanha em SP

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), teve R$ 17,9 milhões em despesas no primeiro turno e o seu adversário Guilherme Boulos (PSOL), R$ 3,3 milhões

Bruno Covas e Guilherme Boulos
Bruno Covas e Guilherme Boulos (Foto: Patrícia Cruz | RS via Fotos Publicas)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), gastou no primeiro turno da eleição municipal cinco vezes e meia a mais do que o seu adversário no segundo turno, Guilherme Boulos (PSOL). O tucano teve R$ 17,9 milhões em despesas e o líder do MTST, R$ 3,3 milhões.

Apesar do cerca de R$ 18 milhões gastos, a campanha do prefeito arrecadou R$ 15,3 milhões, de acordo com a atualização de 16 de novembro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os relatos foram publicados em reportagem do portal Uol

O tucano também foi o candidato que mais arrecadou de pessoas físicas, tendo recebido mais de R$ 100 mil de bilionários desde o início da campanha.

De acordo com o site de Boulos, sua campanha já recebeu 12.989 doações, que acumularam cerca de R$ 1,3 milhão até a manhã dessa quarta-feira (18). A campanha disparou mais um "pedido urgente" nas redes sociais por R$ 110 mil para imprimir panfletos e adesivos.

A campanha de Boulos, por sua vez, já iniciou pedidos de arrecadação para a próxima etapa das eleições. "Para dar conta da nossa campanha intensa de segundo turno, nós vamos precisar de nossa arrecadação", disse o ativista em áudio para seus eleitores. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247