Covas troca sistema próprio de alvará com custo de R$ 2,8 milhões por doado de setor imobiliário

A plataforma doada faz com que os dados armazenados fiquem sob posse de entidades do setor imobiliário, e não da prefeitura, que alega "convergência e prevalência do interesse público no processo de doação"

Coletiva de imprensa com Área do Governo e Área da Saúde em São Paulo 14 de agosto de 2020
Coletiva de imprensa com Área do Governo e Área da Saúde em São Paulo 14 de agosto de 2020 (Foto: Governo de São Paulo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo Bruno Covas (PSDB) abandonou a ideia de concluir um sistema próprio de licenciamento de grandes obras em São Paulo, já inteiramente pago pelo Tesouro Municipal no valor de R$ 2,8 milhões, para aceitar a doação de entidades do setor imobiliário, de acordo com o UOL. O sistema doado trata-se de uma plataforma eletrônica e já está no ar desde setembro.

A doação foi feita pela Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), Secovi-SP (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de São Paulo) e Sinduscon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo).

A plataforma doada é operada "em nuvem administrada pela doadora", o que faz com que os dados sejam armazenados fora dos sistemas da prefeitura, estando sob posse do setor imobiliário. Nem mesmo o endereço de onde o sistema funciona pertence à prefeitura.

Por meio de nota, a prefeitura de SP argumentou que "a tecnologia ofertada era mais avançada do que a proposta apresentada pela empresa de processamento de dados municipal", acrescentando que há "convergência e prevalência do interesse público no processo de doação".

Em nota conjunta, a Abrainc, Secovi-SP e Sinduscon-SP disseram que a doação foi feita "entendendo a necessidade da cidade de São Paulo de se atualizar e informatizar seu processo de licenciamento".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247