Crise? Copacabana Palace tem um dos melhores réveillons da história

Festa de réveillon do tradicional hotel carioca, que teve ingressos de até R$ 3.300 por pessoa, não ficava tão lotada há dez anos; um salão extra precisou ser montado para comportar os convidados; entre eles, o prefeito Eduardo Paes e celebridades como Zeca Pagodinho

Festa de réveillon do tradicional hotel carioca, que teve ingressos de até R$ 3.300 por pessoa, não ficava tão lotada há dez anos; um salão extra precisou ser montado para comportar os convidados; entre eles, o prefeito Eduardo Paes e celebridades como Zeca Pagodinho
Festa de réveillon do tradicional hotel carioca, que teve ingressos de até R$ 3.300 por pessoa, não ficava tão lotada há dez anos; um salão extra precisou ser montado para comportar os convidados; entre eles, o prefeito Eduardo Paes e celebridades como Zeca Pagodinho (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 – A crise que afetou o País ao longo de 2015 passou longe do Copacabana Palace, que há dez anos não tinha uma festa de réveillon com os salões tão lotados. E isso com ingressos de até R$ 3.300 mil por pessoa.

Foi preciso até abrir um salão extra para comportar todos os convidados. Entre eles, celebridades como Zeca Pagodinho e o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), que circulava de cadeira de rodas acompanhado da mulher – ele quebrou o pé na véspera.

"Estamos muito felizes, a festa está linda e temos pessoas do mundo todo por aqui", comemorou Andrea Natal, diretora-geral do hotel, segundo a coluna de Bruno Astuto, da Época.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247