Crivella quer taxar servidores aposentados

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, propõe taxar servidores municipais aposentados como forma de estancar o déficit previdenciário, que deve chegar a R$ 3 bilhões no fim deste ano; a ideia, sugerida pelo novo presidente do Instituto de Previdência e Assistência do Município (Previ-Rio), Luiz Alfredo Salomão, é estender para parte dos aposentados e pensionistas a alíquota de 11%, cobrada hoje dos funcionários da ativa;  projeto ainda nem chegou à Câmara de Vereadores e já encontra resistência

O candidato ao cargo de governador do Rio de Janeiro,Marcelo Crivella (PRB), concede entrevista (Fernando Frazão/Agência Brasil)
O candidato ao cargo de governador do Rio de Janeiro,Marcelo Crivella (PRB), concede entrevista (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - Para estancar o déficit previdenciário, que deve chegar a R$ 3 bilhões no fim deste ano, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, propõe taxar servidores municipais aposentados como forma. a ideia, sugerida pelo novo presidente do Instituto de Previdência e Assistência do Município (Previ-Rio), Luiz Alfredo Salomão, é estender para parte dos aposentados e pensionistas a alíquota de 11%, cobrada hoje dos funcionários da ativa. O projeto ainda nem chegou à Câmara de Vereadores e já encontra resistência do Sindicato dos Servidores Públicos do Município do Rio, do Movimento Unificado em Defesa do Serviço Público Municipal e da Frente Parlamentar em Defesa da Previdência Municipal, que prometem se mobilizar para derrubar a medida.

As informações são de reportagem de O Globo.

"— Considerando R$ 2,1 bilhões (de arrecadação anual de contribuição patronal e dos funcionários ativos), a despesa com benefícios é de R$ 4,7 bilhões por ano. Então há um buraco aí no caixa da previdência de R$ 2,6 bilhões. A arrecadação não tem como aumentar. Poderia ser cobrada a alíquota dos aposentados e dos pensionistas, o que a Constituição manda fazer, mas que os prefeitos anteriores, Cesar Maia e Eduardo Paes, para serem bonzinhos, não cobraram — disse o novo presidente do Previ-Rio.

Ao defender a taxação, o prefeito disse ainda que existem recomendações neste sentido do Tribunal de Contas do Município, que deixou de homologar oito mil aposentadorias por problemas nas administrações anteriores.

— Salomão assumiu agora o Previ-Rio. Ele vai fazer todos os estudos para conseguir fazer frente a esse déficit atuarial. Em nenhuma hipótese (a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas) está descartada. Vamos fazer tudo o que for necessário para garantir pensões e aposentadorias aos servidores. Vamos estudar (quando a medida será implantada). Ele assumiu hoje, colocamos isso em estudo. Quero dizer a vocês que a situação é muito grave, tanto operacional, quanto atuarial. E nós vamos precisar tomar medidas para isso — acrescentou Crivella.

Para o prefeito, o que Salomão classificou como “generosidade” dos prefeitos anteriores, 'no fundo, foram verdadeiras ambições eleitorais desatinadas'."

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247