Crivella quer taxar servidores aposentados

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, propõe taxar servidores municipais aposentados como forma de estancar o déficit previdenciário, que deve chegar a R$ 3 bilhões no fim deste ano; a ideia, sugerida pelo novo presidente do Instituto de Previdência e Assistência do Município (Previ-Rio), Luiz Alfredo Salomão, é estender para parte dos aposentados e pensionistas a alíquota de 11%, cobrada hoje dos funcionários da ativa;  projeto ainda nem chegou à Câmara de Vereadores e já encontra resistência

O candidato ao cargo de governador do Rio de Janeiro,Marcelo Crivella (PRB), concede entrevista (Fernando Frazão/Agência Brasil)
O candidato ao cargo de governador do Rio de Janeiro,Marcelo Crivella (PRB), concede entrevista (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Giuliana Miranda)

Rio 247 - Para estancar o déficit previdenciário, que deve chegar a R$ 3 bilhões no fim deste ano, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, propõe taxar servidores municipais aposentados como forma. a ideia, sugerida pelo novo presidente do Instituto de Previdência e Assistência do Município (Previ-Rio), Luiz Alfredo Salomão, é estender para parte dos aposentados e pensionistas a alíquota de 11%, cobrada hoje dos funcionários da ativa. O projeto ainda nem chegou à Câmara de Vereadores e já encontra resistência do Sindicato dos Servidores Públicos do Município do Rio, do Movimento Unificado em Defesa do Serviço Público Municipal e da Frente Parlamentar em Defesa da Previdência Municipal, que prometem se mobilizar para derrubar a medida.

As informações são de reportagem de O Globo.

"— Considerando R$ 2,1 bilhões (de arrecadação anual de contribuição patronal e dos funcionários ativos), a despesa com benefícios é de R$ 4,7 bilhões por ano. Então há um buraco aí no caixa da previdência de R$ 2,6 bilhões. A arrecadação não tem como aumentar. Poderia ser cobrada a alíquota dos aposentados e dos pensionistas, o que a Constituição manda fazer, mas que os prefeitos anteriores, Cesar Maia e Eduardo Paes, para serem bonzinhos, não cobraram — disse o novo presidente do Previ-Rio.

Ao defender a taxação, o prefeito disse ainda que existem recomendações neste sentido do Tribunal de Contas do Município, que deixou de homologar oito mil aposentadorias por problemas nas administrações anteriores.

— Salomão assumiu agora o Previ-Rio. Ele vai fazer todos os estudos para conseguir fazer frente a esse déficit atuarial. Em nenhuma hipótese (a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas) está descartada. Vamos fazer tudo o que for necessário para garantir pensões e aposentadorias aos servidores. Vamos estudar (quando a medida será implantada). Ele assumiu hoje, colocamos isso em estudo. Quero dizer a vocês que a situação é muito grave, tanto operacional, quanto atuarial. E nós vamos precisar tomar medidas para isso — acrescentou Crivella.

Para o prefeito, o que Salomão classificou como “generosidade” dos prefeitos anteriores, 'no fundo, foram verdadeiras ambições eleitorais desatinadas'."

 

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247