Cunha afaga oposição: 'nova CPMI é inevitável'

Deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), favorito para assumir a presidência da Câmara a partir de 2015, dá uma declaração que pode atrair votos da oposição à sua candidatura; "Conhecidas as delações, acharei inevitável ter uma outra CPMI", diz ele, referindo-se ao caso Petrobras; Cunha deve ter apoio de partidos que apoiaram o senador Aécio Neves, como Solidariedade, PSC e DEM; ele, no entanto, negou o compromisso de encaminhar eventual pedido de impeachment; 'isso é utopia'

Deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), favorito para assumir a presidência da Câmara a partir de 2015, dá uma declaração que pode atrair votos da oposição à sua candidatura; "Conhecidas as delações, acharei inevitável ter uma outra CPMI", diz ele, referindo-se ao caso Petrobras; Cunha deve ter apoio de partidos que apoiaram o senador Aécio Neves, como Solidariedade, PSC e DEM; ele, no entanto, negou o compromisso de encaminhar eventual pedido de impeachment; 'isso é utopia'
Deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), favorito para assumir a presidência da Câmara a partir de 2015, dá uma declaração que pode atrair votos da oposição à sua candidatura; "Conhecidas as delações, acharei inevitável ter uma outra CPMI", diz ele, referindo-se ao caso Petrobras; Cunha deve ter apoio de partidos que apoiaram o senador Aécio Neves, como Solidariedade, PSC e DEM; ele, no entanto, negou o compromisso de encaminhar eventual pedido de impeachment; 'isso é utopia' (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - Em campanha para a presidência da Câmara, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) deu uma declaração, publicada nesta segunda-feira no jornal Valor Econômico, que representa um afago para a oposição.

"Conhecidas as delações, acharei inevitável ter uma outra CPMI", diz o parlamentar, referindo-se à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investiga a Petrobras e que termina seus trabalhos nesta semana.

Com a declaração, Cunha sinaliza apoio a uma proposta do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que promete recolher as assinaturas para uma nova CPMI no início do próximo ano. Não por acaso, Cunha já tem apoio de partidos que apoiaram Aécio na disputa presidencial, como Solidariedade e PSC, e deve fechar ainda com o DEM.

O parlamentar, no entanto, negou qualquer compromisso em encaminhar eventual pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. "Não existe isso. Isso é utopia. Não dá para falar uma coisa dessas sobre quem acabou de se eleger legitimamente pela maioria do voto da população", disse Cunha.


A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247