Damous anuncia campanha pela absolvição de juízes que protestaram contra o golpe

Deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) defende campanha pela absolvição de quatro juízes que foram denunciados ao CNJ por participarem de manifestações contra o impeachment de Dilma Rousseff; "O que mais existe no Brasil hoje é juiz falando sobre tudo e sobre todos, falando dentro dos autos, falando fora dos autos, emitindo opinião em processos que vão julgar", diz; "Esse João Otávio Noronha, o corregedor que pede a punição aos juízes, se manifestou por diversas vezes, ofereceu almoço a Michel Temer", lembra o parlamentar;  "Vamos denunciar isso aos quatro ventos"

Deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) defende campanha pela absolvição de quatro juízes que foram denunciados ao CNJ por participarem de manifestações contra o impeachment de Dilma Rousseff; "O que mais existe no Brasil hoje é juiz falando sobre tudo e sobre todos, falando dentro dos autos, falando fora dos autos, emitindo opinião em processos que vão julgar", diz; "Esse João Otávio Noronha, o corregedor que pede a punição aos juízes, se manifestou por diversas vezes, ofereceu almoço a Michel Temer", lembra o parlamentar;  "Vamos denunciar isso aos quatro ventos"
Deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) defende campanha pela absolvição de quatro juízes que foram denunciados ao CNJ por participarem de manifestações contra o impeachment de Dilma Rousseff; "O que mais existe no Brasil hoje é juiz falando sobre tudo e sobre todos, falando dentro dos autos, falando fora dos autos, emitindo opinião em processos que vão julgar", diz; "Esse João Otávio Noronha, o corregedor que pede a punição aos juízes, se manifestou por diversas vezes, ofereceu almoço a Michel Temer", lembra o parlamentar;  "Vamos denunciar isso aos quatro ventos" (Foto: Paulo Emílio)

Rio 247 - O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) anunciou que está liderando uma campanha pela absolvição de quatro juízes do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) que foram denunciados, nesta semana, ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) por participarem de manifestações contra o impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff no ano passado.

"O Conselho Nacional de Justiça acaba de admitir uma representação disciplinar contra quatro juízes do Rio de Janeiro sob a alegação de que desenvolveram atividade político-partidária. Esses quatro juízes, alíás, juízes exemplares, participaram no ano passado de uma manifestação contra o impeachment da presidente Dilma. Por causa disso tiveram essa denúncia admitida", diz Damous em vídeo gravado sobre o assunto. Assista acima.

"Não era dia de semana, não estavam trabalhando, manifestaram-se como cidadãos. O que mais existe no Brasil hoje é juiz falando sobre tudo e sobre todos, falando dentro dos autos, falando fora dos autos, emitindo opinião em processos que vão julgar... diversos juízes naquela ocasião se manifestaram a favor do golpe. O que fez Gilmar Mendes? O que fez Sérgio Moro? O que fizeram diversos juízes e desembargadores lá no Rio de Janeiro? E agora quem é contra o golpe é penalizado", destaca o parlamentar.

"Esse João Otávio Noronha, o corregedor que pede a punição aos juízes, se manifestou por diversas vezes, ofereceu almoço a Michel Temer, disse que as manifestações a favor do golpe foram naturais, espontâneas, e as contra o golpe foram manifestações urdidas que não tiveram a espontaneidade das outras. Um cínico que agora pede a punição a estes juízes".

"Vamos denunciar isso aos quatro ventos. Vou denunciar isso na tribuna da Câmara e vamos fazer uma campanha pela absolvição destes juízes", adianta Damous. "Exijo agora que o CNJ paute o processo que ajuizamos contra Sérgio Moro por conta dos vazamentos criminosos que ele fez de conversas do presidente Lula com a sua mulher, a falecida Dona Marisa. Por quê não pautam isso? Por quê dois pesos e duas medidas?", questiona no final.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247