Damous: não é possível que o STF não reconheça a suspeição contra Lula

O ex-deputado Wadih Damous (PT-RJ) também afirmou que "o deboche dos procuradores com as mortes da esposa, do irmão e do neto do Presidente Lula mostra a degradação moral dos integrantes da Lava Jato. Mostra que são movidos a ódio e não da vontade de investigar. São criminosos e devem todos ser afastados imediatamente de seus cargos"

247 - O ex-deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) cobrou do Supremo Tribunal Federal o reconhecimento da suspeição da Operação Lava Jato contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Novas revelações da Vaza Jato apontaram que procuradores do Ministério Público Federal (MPF-PR) ironizaram a morte de Dona Marisa Letícia em 2017, quando ela foi vítima de um AVC hemorrágico em São Paulo.

"Não é possível que o STF não reconheça logo a suspeição escancarada de Moro e essa gangue de procuradores e procuradoras, que usaram as suas prerrogativas funcionais para perseguir um homem e sua família a pretexto de combater corrupção inexistente. Libertem Lula já!", escreveu ele no Twitter.

"O deboche dos procuradores com as mortes da esposa, do irmão e do neto do Presidente Lula mostra a degradação moral dos integrantes da Lava Jato. Mostra que são movidos a ódio e não da vontade de investigar. São criminosos e devem todos ser afastados imediatamente de seus cargos", disse.

Segundo reportagem do Intercept Brasil em parceria com o site Uol, o procurador Deltan Dallagnol escreveu no Telegram. "Um amigo de um amigo de uma prima disse que chegou ao atendimento sem resposta, como um vegetal".

O procurador Januário Paludo responde: "estão eliminando as testemunhas".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247