Delator diz que pagou R$ 400 mil a Crivella

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), foi acusado de receber propina por um dos delatores do esquema de propina da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor); as afirmações foram feitas  ao Ministério Público Federal (MPF); Edimar Moreira Dantas, que trabalhava na empresa do doleiro Álvaro José Novis, diz que fez pagamentos num total de R$ 450 mil, em espécie, para o prefeito 

27/07/2017- Rio de Janeiro- DF, Brasil- O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella durante entrevista coletiva sobre as manifestações dos taxistas Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
27/07/2017- Rio de Janeiro- DF, Brasil- O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella durante entrevista coletiva sobre as manifestações dos taxistas Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - Um dos delatores do esquema de propina da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) afirmou ao Ministério Público Federal (MPF) que fez pagamentos num total de R$ 450 mil, em espécie, para o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB).

As acusações contra Crivella foram feitas por Edimar Moreira Dantas, que trabalhava na empresa do doleiro Álvaro José Novis, acusado de ser o operador do esquema da Fetranspor de pagamento de propina e doações eleitorais não declaradas a políticos.

O funcionário do doleiro disse aos investigadores que fez pagamentos a um intermediário do prefeito do Rio entre os anos de 2010 e 2012. Segundo Dantas, o dinheiro foi entregue a Mauro Macedo, que foi tesoureiro de antigas campanhas de Crivella, num escritório no Centro do Rio que funcionava como comitê partidário.

Em 2010, Crivella se elegeu senador; no entanto, em 2012, não disputou eleição. Todos os repasses teriam sido feitos pessoalmente num escritório na Candelária, onde funcionou comitê de campanha de Crivella em 2010. O delator afirmou ainda que viu o prefeito do Rio no prédio citado como local dos pagamentos.

As informações são de reportagem em O Globo.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247