Delegado que prendeu Garotinho fez campanha para candidato adversário

"Quem pensa que a Lava Jato era um assunto local, restrito a Curitiba, se enganou. Quem acha que Garotinho é um assunto paroquial, restrito a Campos, também pode estar equivocado. A caça já começou. Quem será o próximo alvo?", questiona o jornalista Joaquim de Carvalho, que publicou reportagem, no DCM, com evidências de que o delegado Paulo Cassiano Júnior, responsável pela prisão de Anthony Garotinho, fez campanha para seu adversário

"Quem pensa que a Lava Jato era um assunto local, restrito a Curitiba, se enganou. Quem acha que Garotinho é um assunto paroquial, restrito a Campos, também pode estar equivocado. A caça já começou. Quem será o próximo alvo?", questiona o jornalista Joaquim de Carvalho, que publicou reportagem, no DCM, com evidências de que o delegado Paulo Cassiano Júnior, responsável pela prisão de Anthony Garotinho, fez campanha para seu adversário
"Quem pensa que a Lava Jato era um assunto local, restrito a Curitiba, se enganou. Quem acha que Garotinho é um assunto paroquial, restrito a Campos, também pode estar equivocado. A caça já começou. Quem será o próximo alvo?", questiona o jornalista Joaquim de Carvalho, que publicou reportagem, no DCM, com evidências de que o delegado Paulo Cassiano Júnior, responsável pela prisão de Anthony Garotinho, fez campanha para seu adversário (Foto: Leonardo Attuch)

Por Joaquim de Carvalho, no DCM

Não tenho motivo para defender o ex-governador Anthony Garotinho, preso sob acusação de chefiar um esquema de compra de votos através de um programa social de Campos.

Mas, depois que escrevi aqui que a prisão dele era suspeita — casos explícitos de uso do poder econômico para manipular resultado de eleição não teve repercussão judicial, caso do prefeito eleito de São Paulo João Dória, acusado pelos próprios correligionários de comprar apoio para ser indicado candidato –, recebi algumas mensagens de leitores que me chamaram a atenção.

“Você precisa saber o que acontece em Campos”, disse uma leitora a respeito da atuação do delegado da Polícia Federal que prendeu o ex-governador depois de comandar o inquérito que apurou supostas irregularidades no programa social Cheque Cidadão, um tipo de Bolsa Família local que tem raízes anteriores ao próprio programa do Governo Federal.

O delegado da PF, Paulo Cassiano Júnior, teria feito campanha para o candidato que derrotou o grupo de Garotinho na cidade.

Leia a íntegra no DCM

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247