Demissão de Geddel é para proteger Temer, diz Lindbergh

Senador Lindbergh Farias (PT-RJ), líder da oposição do governo no Senado, afirmou que a demissão nesta sexta-feira, 25, de Geddel Vieira Lima da Secretaria de Governo não pode encobrir a participação do presidente Michel Temer nas irregularidades denunciadas pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero; "A demissão de Geddel não é solução para essa crise. Geddel tem, sim, que ser demitido pelas acusações que sofreu, mas sua demissão não pode servir para abafar o envolvimento de Michel Temer, que também tem que responder pelos seus erros", disse

Senador Lindbergh Farias (PT-RJ) quer que Brasil lidere debate sobre direitos humanos e privacidade
Senador Lindbergh Farias (PT-RJ) quer que Brasil lidere debate sobre direitos humanos e privacidade (Foto: Aquiles Lins)

Rio 247 - O senador Lindbergh Farias (PT-RJ), líder da oposição do governo no Senado, afirmou que a demissão nesta sexta-feira, 25, de Geddel Vieira Lima da Secretaria de Governo não pode encobrir a participação do presidente Michel Temer nas irregularidades denunciadas pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero.

"A demissão de Geddel não é solução para essa crise. Geddel tem, sim, que ser demitido pelas acusações que sofreu, mas sua demissão não pode servir para abafar o envolvimento de Michel Temer, que também tem que responder pelos seus erros", disse Lindbergh. Segundo o senador do PT, assim como Geddel, Temer também defendeu interesses privados, ao pressionar Calero para que interferisse na liberação da construção do prédio La Vue, no centro histórico de Salvador, onde Geddel tem um apartamento na planta, avaliado em R$ 2,4 milhões.

A oposição deve anunciar hoje medidas jurídicas que tomará contra o governo Temer. Entre elas, o pedido de um processo de impeachment.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247