PSL quer que professores passem por teste de uso de drogas

Deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL-RJ) apresentou um projeto de lei para que todos os professores do Estado, sejam da rede pública ou privada, sejam obrigados a realizar exames toxicológicos trimestrais, cujos resultados seriam tornados públicos

Alexandre Knoploch
Alexandre Knoploch (Foto: Thiago Lontra/ALERJ)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado estadual Alexandre Knoploch (PSL-RJ) apresentou um projeto de lei para que todos os professores do Estado, sejam da rede pública ou privada, sejam obrigados a realizar exames toxicológicos trimesmestrais "específico para substâncias psicoativas ilícitas que causem dependência ou, comprovadamente, comprometam a capacidade intelectual e de raciocínio". A oposição, porém, afirma que o projeto é inconstitucional. 

Segundo o texto do projeto, os resultados dos exames deverão ser concentrados junto à Secretaria de Educação e deverão ser tornados públicos para consulta via o site oficial do órgão. Em caso de resultado positivo, "os docentes cujo os exames apontarem o uso de entorpecentes e substâncias psicoativas ficarão impedidos de lecionar até a realização de próximo exame que ateste a ausência destas mesmas substâncias". Ainda segundo o projeto, os salários dos professores seriam descontados e os que tiverem quatro exames positivos constados devem ser exonerados. 

“É inconstitucional porque é invasivo, prevê a obrigatoriedade das pessoas serem submetidas à exames que podem não desejar realizar, imputando uma obrigação desvinculada de seu exercício profissional. O estado não consegue sequer remunerar os professores com um salário decente e vai gastar milhões com exames toxicológicos? Além de ferir a constituição fere o regime de recuperação fiscal”, afirmou o deputado e presidente da Comissão de Educação da Alerj, Flávio Serafini (PSOL),  ao jornal O Globo

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email