Deputado pede ao STF afastamento temporário de Jair Bolsonaro

Deputado Marcelo Calero ingressou com representação junto ao ministro Celso Mello, do STF, pedindo o afastamento cautelar de Jair Bolsonaro, além de outras medidas preventivas. "É essencial que Jair Bolsonaro seja afastado temporariamente, até que sejam concluídas as investigações", diz o deputado

Marcelo Calero e Jair Bolsonaro
Marcelo Calero e Jair Bolsonaro (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado Marcelo Calero ingressou nesta segunda-feira (4),  no Supremo Tribunal Federal (STF), com representação solicitando ao ministro Celso Mello que faça a Procuradoria Geral da República se manifestar sobre o afastamento cautelar de Jair Bolsonaro.

O parlamentar também requer a proibição de Bolsonaro ao acesso a qualquer relatório sigiloso elaborado pela Polícia Federal, de ter contato com os responsáveis pela investigação, além de obedecer a critérios impessoais para a indicação do Diretor-Geral da Polícia Federal.

Os pedidos têm por objetivo eliminar quaisquer possibilidades de interferências políticas nos processos de investigação - notadamente os inquéritos 4781 e 4828 - que correm no STF contra Jair Bolsonaro.

"As medidas permitirão que as investigações criminais sejam eficientes, bem como garantirão autonomia técnica, imparcialidade e independência da Polícia Federal, que conduz as referidas diligências", disse deputado em material divulgado à imprensa. 

"No momento, portanto, é essencial que Jair Bolsonaro seja afastado da Presidência da República temporariamente, até que sejam concluídas as investigações", acrescenta. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247