Deputado vai ao Ministério Público contra lucros e dividendos da Vale

Representação do relator da CPI de Brumadinho pede providências contra distribuição de R$ 7,25 bilhões aos acionistas da mineradora, até que todas as vítimas do rompimento da barragem do Córrego de Feijão sejam indenizadas

(Foto: Jailson Sam - Agência Câmara)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O relator da CPI de Brumadinho na Câmara dos Deputados tem reunião hoje com o procurador-geral do Estado, Antônio Sérgio Tonet. O deputado federal Rogério Correia (PT-MG) entrega ao procurador de Justiça, às 16h, requerimento oficial solicitando medidas judiciais para evitar a distribuição de dividendos aos acionistas da Vale, até que todas as vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho sejam indenizadas.

Há uma semana, a Vale, mineradora que controla a barragem Córrego do Feijão, informou que vai remunerar seus acionistas em R$ 7,25 bilhões, na forma de juros sobre capital próprio, referentes a 2019. O valor supera o total gasto pela companhia nos reparos do rompimento em Brumadinho.

“É revoltante que a empresa pretenda distribuir lucros a seus acionistas e divulgue isso em encontro anual de investidores em Nova York, antes mesmo de finalizar as indenizações das vítimas do crime em Brumadinho”, diz Rogério Correia, que entregou em novembro o relatório final da CPI, pedindo o indiciamento de 22 executivos envolvidos com o crime, além de vários outros procedimentos.

A entrega do ofício com o requerimento ao Ministério Público ocorrerá na própria sede do MP, em Belo Horizonte. Além de Rogério Correia, estará presente a deputada estadual Beatriz Cerqueira, membra da CPI da Assembleia Legislativa.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247