'Diziam que a Copa não tinha legado. Ele é do povo'

Presidente Dilma, que inaugurou nesta manhã nova área de embarque do aeroporto Galeão, no Rio, afirmou que "nenhum legado é da Copa, todos são do povo"; ela acrescentou que não estamos fazendo aeroportos para o Mundial, mas para todos os brasileiros; "Por acaso, vão ser utilizados na Copa", disse; ela também pediu hospitalidade no evento e respondeu a manifestantes que gritavam 'Não vai ter Copa'; "Vai ter Copa e todos serão bem recebidos"; ao lado de Sergio Cabral, do prefeito Eduardo Paes e do governador Luiz Fernando Pezão, com quem reforçou parcerias para "transformar" o Rio, Dilma inaugurou ainda o BRT Transcarioca e, descontraída na cerimônia, caiu no samba

Rio de Janeiro - RJ, 01/06/2014. Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de inauguração do BRT Transcarioca. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Rio de Janeiro - RJ, 01/06/2014. Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de inauguração do BRT Transcarioca. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR (Foto: Gisele Federicce)

Rio 247 - A presidente Dilma Rousseff voltou a defender o legado da Copa do Mundo neste domingo, durante cerimônia de inauguração do BRT Transcarioca, no Rio de Janeiro. "Diziam que a Copa não tinha legado. Nenhum legado é da Copa, todos são do povo brasileiro", discursou Dilma, que cumpriu agenda ao lado do ex-governador Sergio Cabral, do governador Luiz Fernando Pezão e do prefeito da capital, Eduardo Paes, todos do PMDB. 

Dilma reforçou, em sua fala, a importância da parceria entre a esfera federal e os governos e a prefeitura do Rio, o que permitiu que, juntos, eles "transformassem" o estado. "Todos nós precisamos de tempo pra viver, o Transcarioca ganha o tempo da nossa vida", disse a presidente, sobre um dos principais projetos de mobilidade associados à Copa, que liga o aeroporto do Galeão à Barra da Tijuca. "A partir do Transcarioca, todos os bairros do subúrbio passarão a ser melhorados", acrescentou.

Respondendo a manifestantes que gritavam 'Não vai ter Copa', a presidente afirmou, pedindo hospitalidade: "Vai ter Copa e todos serão bem recebidos". Presidente lembrou que, de quatro em quatro anos, há Copa do Mundo e os brasileiros são bem recebidos no exterior.

Mais cedo, Dilma inaugurou, junto com o ministro Moreira Franco, da Aviação Civil, uma nova área de embarque do aeroporto internacional do Rio de Janeiro. Ela ressaltou a importância da construção de aeroportos e reforçou que eles ficam para os brasileiros. "Não estamos fazendo aeroportos para a Copa, mas para todos os brasileiros. Por acaso, vão ser utilizados na Copa", declarou, acrescentando que o avião não é mais transporte de elite no País.

Dilma entrega ainda 564 moradias populares no Complexo de Manguinhos neste domingo e encerra os compromissos no Rio de Janeiro com um almoço, no início da tarde, na Gávea pequena, zona sul da capital. Às 17h30, ela vai para a base aérea de Santa Cruz, voa de helicóptero até o Galeão e retorna à Brasília às 18h.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247