Documento que revela entranhas do poder de Aécio desapareceu no STF

A denúncia foi feita pelo jornalista Joaquim de Carvalho, em reportagem publicada no DCM. Documentos revelariam as origens do mensalão tucano

Justiça de SP bloqueia R$ 128 mi de Aécio e R$ 20 mi de Cristiane Brasil
Justiça de SP bloqueia R$ 128 mi de Aécio e R$ 20 mi de Cristiane Brasil (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

Por Joaquim de Carvalho, no DCM – Em 1o de agosto de 2012, o advogado Dino Miraglia Filho protocolou no Supremo Tribunal Federal um conjunto de papéis que passou a ser conhecido como A Lista de Marcos Valério. Eram papéis originais, com a assinatura do próprio operador do mensalão. Nesse lista, há nomes de financiadores da campanha eleitoral de Minas Gerais em 1998 e de beneficiários, muitos candidatos, como Aécio Neves e Eduardo Azeredo, outros não, como o ministro do STF Gilmar Mendes e a modelo Cristiana Aparecida Ferreira, que seria assassinada dois anos depois.

A lista, uma prática do submundo da política mineira, foi feita para intimidar beneficiários e doadores. Alguns anos depois, ao responder a um processo movido por Gilmar Mendes contra ele, por crime contra a honra, Dino Miraglia foi informado pelo Ministério Público Federal em São Paulo de que os originais protocolados no STF haviam desaparecido. A procuradora quis saber se ele tinha algum envolvimento com o desaparecimento.

Leia a íntegra no DCM

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247