‘É hora de sermos uma esquerda aguerrida na defesa do Lula e do Brasil’

Lideranças políticas continuam prestando solidariedade ao ex-presidente Lula, condenado novamente sem provas no processo envolvendo o triplex no Guaruja (SP); "Nós não vamos nos curvar diante da injustiça: Lula é nosso pré-candidato! O poder judiciário conspira com as elites contra o povo trabalhador. É hora de sermos uma esquerda aguerrida na defesa do Lula e do Brasil", escreveu o senador Lindbergh Farias (PT) em sua conta no Twitter

Lideranças políticas continuam prestando solidariedade ao ex-presidente Lula, condenado novamente sem provas no processo envolvendo o triplex no Guaruja (SP); "Nós não vamos nos curvar diante da injustiça: Lula é nosso pré-candidato! O poder judiciário conspira com as elites contra o povo trabalhador. É hora de sermos uma esquerda aguerrida na defesa do Lula e do Brasil", escreveu o senador Lindbergh Farias (PT) em sua conta no Twitter
Lideranças políticas continuam prestando solidariedade ao ex-presidente Lula, condenado novamente sem provas no processo envolvendo o triplex no Guaruja (SP); "Nós não vamos nos curvar diante da injustiça: Lula é nosso pré-candidato! O poder judiciário conspira com as elites contra o povo trabalhador. É hora de sermos uma esquerda aguerrida na defesa do Lula e do Brasil", escreveu o senador Lindbergh Farias (PT) em sua conta no Twitter (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - Lideranças políticas continuam prestando solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado novamente sem provas no processo envolvendo o triplex no Guaruja (SP).

"Nós não vamos nos curvar diante da injustiça: Lula é nosso pré-candidato! O poder judiciário conspira com as elites contra o povo trabalhador. É hora de sermos uma esquerda aguerrida na defesa do Lula e do Brasil", escreveu Lindbergh em sua conta no Twitter.

"Avante, companheiros. É hora de defender Lula e nossa democracia. Não podemos nos intimidar: nossa única opção é ocupar as ruas", acrescentou o parlamentar.

Nesta quarta-feira (14), o Tribunal Regional da 4ª Região (TRF4), com sede em Porto Alegre, manteve a condenação e aumentou a pena de 9 anos e 6 meses de prisão determinada em primeira instância pelo juiz Sergio Moro para 12 anos.

O ex-presidente Lula foi denunciado em setembro de 2016, quando o Ministério Público Federal acusou o petista de ter recebido R$ 3,7 milhões em benefício próprio da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012, através de um triplex no Guarujá (SP).

Mas, no começo de janeiro deste ano, há pouco mais de 15 dias, a juíza Luciana Correa Torres de Oliveira, da 2ª Vara de Execução e Títulos no Distrito Federal, determinou a penhora dos bens da OAS, numa ação movida por credores. Um dos ativos penhorados é justamente o triplex que a Operação Lava Jato atribuiu a Lula (veja aqui). Também foi publicado o termo de penhora do triplex, com data de 5 de dezembro de 2017 (leia aqui).

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247