Eduardo Bolsonaro usou R$ 800 mil do fundo partidário para realizar evento ultra conservador em SP

O evento ultra conservador Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC) gerou críticas dentro da própria direita por usar verba partidária. Eduardo Bolsonaro foi o alvo. Participantes argumentam que a versão norte-americana da conferência é financiada com dinheiro privado, enquanto no Brasil o “o3” utilizou cerca de R$ 800 mil do fundo partidário do PSL

(Foto: Agência Câmara)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O evento ultra conservador Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC) gerou críticas dentro da própria direita por usar verba partidária. Eduardo Bolsonaro foi o alvo. Participantes argumentam que a versão norte-americana da conferência é financiada com dinheiro privado, enquanto no Brasil o “o3” utilizou cerca de R$ 800 mil do fundo partidário do PSL.

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo destaca que "outras organizações da “nova direita” também não pouparam críticas à postura de Eduardo. Veem “dois pesos, duas medidas” no discurso do deputado federal, muito rígido ao falar dos gastos públicos, mas que abriu uma exceção para organizar o encontro de seus apoiadores. O Movimento Brasil Livre, por exemplo, ironizou os gastos dizendo que “algumas coisas nunca mudam”. Já o ILISP (Instituto Liberal de São Paulo) ressumiu: “É o petismo de direita”. Ao final da conferência, Eduardo anunciou que deverá ocorrer uma nova edição do evento em 2020."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247