Em plena pandemia, polícia do Rio bate recorde de mortes em 22 anos

O estado registrou 741 vítimas nos cinco primeiros meses de 2020. Os dados foram registrados pelo Instituto de Segurança Pública do Rio (ISP-RJ)

(Foto: Fernando Frazão - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Rio de Janeiro vive em um início de ano de recordes nos números da violência policial, a maior nos últimos 22 anos. O estado registrou 741 vítimas nos cinco primeiros meses de 2020, o que representa cinco pessoas mortas diariamente no Rio por policiais. Os dados foram registrados pelo Instituto de Segurança Pública do Rio (ISP-RJ). De acordo com índices analisados pelo portal G1, 78% das vítimas são pretas ou pardas. 

A especialista em segurança pública e socióloga Sílvia Ramos destacou a violência policial em 2018, quando houve a intervenção militar na segurança do Rio de Janeiro.

"O que nós verificamos é que, em 2018, o ano de intervenção militar, consolidou-se uma política de segurança baseada em operações de conflito. Quando chega a intervenção, chega uma ‘coisa militar’ declarada. Muito parecido com as operações de guerra e deixa de lado a inteligência", afirmou.

"Em 2019, com a chegada do Witzel, temos a combinação do governo com um discurso agressivo e ofensivo com as favelas. Isso culminou com uma polícia que perdeu o rumo com as operações de inteligência. São resultados muitos dramáticos. É um discurso de 'liberalização' da execução", acrescentou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247