Escola Le Cordon Bleu chega ao Rio para ficar

Famosa escola de gastronomia francesa ter cursos na Faetec, em Botafogo; o governador Srgio Cabral e o presidente da instituio, Andre Contreau, assinaram hoje o termo de cesso do prdio por 20 anos; primeira turma comea em 2013

Agência Rio - O termo de cessão do prédio da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), onde funcionará a primeira unidade brasileira da Le Cordon Bleu, líder mundial de ensino em gastronomia, foi assinado nesta sexta-feira (9) pelo governador Sérgio Cabral e o presidente da instituição, Andre Contreau. A escola começará a funcionar no Rio de Janeiro em 2013.

O edifício de dois andares - onde funcionava a escola de enfermagem da Faetec, na Rua da Passagem, 175, em Botafogo - será totalmente reformado para receber as instalações. As obras, com orçamento estimado em R$ 4 milhões, estão previstas para terminar em seis meses. As matrículas serão abertas em dezembro e a previsão para o início das aulas é fevereiro de 2013.

Em contrapartida, a rede francesa disponibilizará, gratuitamente, 20% das vagas dos cursos profissionalizantes para alunos da Faetec, que ficará responsável pela certificação do ensino. A primeira turma disponibilizará 480 vagas, mas, futuramente, a escola poderá formar até 800 estudantes por ano. A grade de cursos será definida pela Le Cordon Bleu, líder mundial em ensino de gastronomia.

O governador Sérgio Cabral disse que era um sonho do governo trazer a escola para o Rio de Janeiro. Após uma tentativa frustrada de construir uma unidade em Brasília, a rede Le Cordon Bleu desistiu de se instalar no país. A proposta foi retomada a partir de articulação com o vice-governador e coordenador executivo de Infraestutura do Estado, Luiz Fernando Pezão. Para Cabral, a iniciativa ratifica a posição do Brasil como principal destino de investimentos da França, à exemplo de outras empresas radicadas no estado, como Michelin, L'Óreal e Peugeot Citröen.

"A Cordon Bleu é sinônimo de qualidade de ensino e vai valorizar nossos serviços no setor de gastronomia. O governo financiará parte dos investimentos, cedendo o prédio e fazendo a reforma, e a escola vai investir em equipamentos. Vale lembrar que são cursos muito caros, e muita gente que tem boas condições financeiras sai do Brasil para estudar nas filiais da Le Cordon Bleu lá fora. Este será um marco na qualificação da nossa gastronomia e vai agregar muito valor às marcas Brasil e Rio de Janeiro", afirmou Cabral.

O Peru foi o primeiro país latino americano a receber uma unidade da rede francesa, que tem 44 escolas distribuídas por 17 países. O objetivo da implementação da escola no Rio de Janeiro é transformar a cidade em um polo gastronômico na América Latina, em função dos grandes eventos programados, que vão atrair turistas de vários países.

O presidente da Le Cordon Bleu, André Cointreau, ressaltou o compromisso da instituição em contribuir para o desenvolvimento humano da cidade e formar os melhores profissionais para os setores do turismo, hotelaria e gastronomia. "Queremos ser vistos como uma instituição em que o aluno terá não somente um emprego, mas uma carreira. Desenhamos uma escola para atender os alunos, um local muito bom e um programa bem definido para transformar aprendizes em profissionais do setor, mestres da arte culinária. Possibilitamos que os alunos cheguem ao mercado completamente qualificados e desenvolvam um conjunto de elementos que os permita ser criativos e crescerem no futuro. É um desafio especialmente importante e queremos nos tornar a melhor escola de gastronomia do Brasil", comemorou.

A cessão do imóvel terá duração de 20 anos, renováveis por mais 20. O secretário de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, adiantou que os cursos terão duração média de 300 horas, mas alunos mais experientes poderão concluí-los em 160 horas. Para os estudantes matriculados nas unidades da Faetec, será pré-requisito conhecimento prévio no setor.

"Todos os professores serão contratados pela rede francesa, assim como a parte pedagógica e administrativa. O que pretendemos é pegar cozinheiros que trabalham em pequenos estabelecimentos em Madureira, na Baixada Fluminense ou em outras regiões e desenvolver seu potencial, proporcionando melhor colocação no mercado de trabalho", avaliou Cardoso.

Negociações começaram em 2011

O protocolo de intenções para a instalação da escola foi assinado em agosto do ano passado pelo governador Sérgio Cabral, juntamente com André Cointreau, presidente da Cordon Bleu, e com o vice-presidente da escola francesa para a América Latina, o chef Patrick Martin. Desde então, o governo estadual vem negociando com a escola para atender a todos os critérios necessários para a instalação.

A Le Cordon Bleu (fita azul, em francês) é uma rede internacional de manejo de hospitalidade e de escolas de culinária que ensinam a cozinha francesa. Em 1933, foi aberta em Londres a primeira escola fora da França. Desde então, unidades foram fundadas em Adelaide e Sydney, na Austrália; Seul, na Coréia do Sul; Otawa, no Canadá; Tóquio, Kobe e Yokohama, no Japão; Lima, no Peru; em 17 cidades dos Estados Unidos; Bangcoc, na Tailândia; Martinborough, na Nova Zelândia; e, agora, no Rio.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247