Esquema de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro existia antes de Queiroz

Segundo o MP, a ex-chefe de gabinete Mariana Lúcia da Silva Ramos Mota teria atuado no recebimento de rachadinhas no gabinete de Flávio Bolsonaro, antes de Fabrício Queiroz assumir a função, em 2008

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Uma ex-assessora parlamentar do gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio era responsável pelo esquema de rachadinha no gabinete, antes de Fabrício Queiroz trabalhar como assessor.

A informação consta no relatório do Ministério Público do Rio de Janeiro que embasou as buscas em endereços ligados a Flávio e seu ex-assessor Fabrício Queiroz nesta quarta (18).

De acordo com o documento, a ex-chefe de gabinete Mariana Lúcia da Silva Ramos Mota, teria atuado no recebimento de rachadinhas antes de Queiroz assumir a função, em 2008.

A ex-assessora "exerceu a função de arrecadação dos valores repassados por assessores, à época em que ocupava a chefia de gabinete do deputado Flávio Bolsonaro, antes de a referida função ser assumida por Fabrício Queiroz".

A ex-chefe de gabinete de Flávio recebeu em sua conta R$ 39,4 mil em transferências de outro assessor, entre janeiro de 2007 e março de 2008. A informação é baseada somente na quebra de sigilo das contas do policial civil que atuou como assessor no gabinete de Flávio, Jorge Luís de Souza. Segundo os investigadores, o valor equivale a 45% dos salários que o Souza recebeu da Assembleia nesse mesmo período.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247