Fecomércio-RJ: enrosco judicial e milhões gastos com advogados

Afastado do comando do Sesc-RJ por irregularides na gestão apontadas pelo Tribunal de Contas da União, o presidente da Fecomércio-RJ já gastou uma pequena fortuna com advogados nos últimos anos; os gastos são estimados em R$ 47 milhões, dos quais R$ 19,9 milhões com o escritório de Roberto Teixeira, compadre do ex-presidente Lula

Afastado do comando do Sesc-RJ por irregularides na gestão apontadas pelo Tribunal de Contas da União, o presidente da Fecomércio-RJ já gastou uma pequena fortuna com advogados nos últimos anos; os gastos são estimados em R$ 47 milhões, dos quais R$ 19,9 milhões com o escritório de Roberto Teixeira, compadre do ex-presidente Lula
Afastado do comando do Sesc-RJ por irregularides na gestão apontadas pelo Tribunal de Contas da União, o presidente da Fecomércio-RJ já gastou uma pequena fortuna com advogados nos últimos anos; os gastos são estimados em R$ 47 milhões, dos quais R$ 19,9 milhões com o escritório de Roberto Teixeira, compadre do ex-presidente Lula (Foto: Leonardo Attuch)

Rio 247 - O presidente do Sistema Fecomércio RJ,  Orlando Diniz, está ocupando diversas varas da justiça brasileira com o enrosco administrativo em que se encontra, por conta das irregularidades na sua gestão à frente dos regionais Sesc e Senac RJ, que levaram ao seu afastamento (leia mais aqui).

Ao invés de fazer ajustes na gestão, o dirigente sindical optou por mover nove ações contra o Sesc Nacional e outras nove contra o Senac Nacional, sendo cada uma em uma seção judiciária diferente. 

As ações, que já geraram 52 recursos entre julgados e em andamento, estão dando trabalho para os juízes. 

Só com a banca de Roberto Teixeira, compadre do ex-presidente Lula, o Sistema Fecomércio RJ, Sesc e Senac já gastou R$ 19.975.624,27. Estima-se que os esforços com advogados nestes três últimos anos, consumiram cerca de R$ 47 milhões.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247