Filho de Bolsonaro apaga tuíte de condolências à família de Marielle Franco

O deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro, apagou do Twitter uma mensagem em que prestava condolências às famílias da vereadora do Rio Marielle Franco (Psol) e Anderson Pedro Gomes, assassinados na região central do Rio; “Meus sentimentos às famílias da vereadora Marielle Franco e de seu motorista. Apesar de profundas divergências políticas, sempre tive relação respeitosa com ela. A impunidade e a legislação penal frouxa seguem estimulando a violência”, dizia a mensagem

O deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro, apagou do Twitter uma mensagem em que prestava condolências às famílias da vereadora do Rio Marielle Franco (Psol) e Anderson Pedro Gomes, assassinados na região central do Rio; “Meus sentimentos às famílias da vereadora Marielle Franco e de seu motorista. Apesar de profundas divergências políticas, sempre tive relação respeitosa com ela. A impunidade e a legislação penal frouxa seguem estimulando a violência”, dizia a mensagem
O deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro, apagou do Twitter uma mensagem em que prestava condolências às famílias da vereadora do Rio Marielle Franco (Psol) e Anderson Pedro Gomes, assassinados na região central do Rio; “Meus sentimentos às famílias da vereadora Marielle Franco e de seu motorista. Apesar de profundas divergências políticas, sempre tive relação respeitosa com ela. A impunidade e a legislação penal frouxa seguem estimulando a violência”, dizia a mensagem (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - O deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro, apagou do Twitter uma mensagem em que prestava condolências às famílias da vereadora do Rio Marielle Franco (Psol) e Anderson Pedro Gomes, que foram assassinados na noite de quarta-feira (14) na região central do Rio. A informação é da Folha.

“Meus sentimentos às famílias da vereadora Marielle Franco e de seu motorista. Apesar de profundas divergências políticas, sempre tive relação respeitosa com ela. A impunidade e a legislação penal frouxa seguem estimulando a violência”, dizia a mensagem.

Segundo o chefe de gabinete do deputado, Miguel Angelo Braga, ele pode ter ficado preocupado com as interpretações negativas do tuíte.

Braga afirmou ainda que, em sua opinião, "talvez haja exploração midiática" sobre o assassinato por parte "de alguns grupos" e "talvez [a família Bolsonaro] queira ficar à parte disso".

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247