Flávio Bolsonaro escondeu da Receita investimentos de R$ 90 mil em ações

Segundo o MP, o próprio Flávio Bolsonaro revelou os valores após entrar com ação judicial reparatória depois de perder todo o dinheiro investido

Flávio Bolsonaro
Flávio Bolsonaro (Foto: Flávio Bolsonaro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MPF-RJ) descobriu que o senador Flávio Bolsonaro omitiu da Receita Federal investimentos no valor de R$ 90 mil em ações, de acordo com Fausto Macedo, do Estado de S. Paulo.

A descoberta se deu no desenrolar das investigações sobre o possível esquema de rachadinha no gabinete de Flávio enquanto ele ocupava o cargo de deputado estadual do Rio. A ocultação cometida por ele ocorreu entre 2007 e 2009.

Investigadores explicam que o próprio senador revelou as informações ao entrar com ação judicial reparatória depois de perder todo o dinheiro investido.

“De acordo com a sentença proferida pela 36ª Vara Cível do Foro Central da Comarca de São Paulo nos autos do processo nº 0119720-69.2011.8.26.010022, o Parlamentar declarou ter investido R$ 90.000,00 na bolsa de valores ao longo de 2007 e 2008 e ter perdido todo o investimento, gerando uma dívida de R$ 15.500,00 com a corretora que, segundo alegado pelo próprio autor, teria sido quitada em dinheiro vivo, o que resultou em gastos de pelo menos R$ 105.500,00 no período”, diz o Ministério Público.

A quantia chamou a atenção dos investigadores porque Flávio, à época, era solteiro e tinha apenas uma fonte de renda: seu mandato como deputado estadual.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247