Freixo cobra avanço de investigações sobre o caso Marielle após prisão de bombeiro

"Descobrir os mandantes da execução é crucial para a democracia. Quem mandou matar Marielle?", questionou o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) ao repercutir a prisão do sargento do Corpo de Bombeiros Maxwell Simões Corrêa, de 44 anos, suspeito de ajudar o PM Ronnie Lessa a se desfazer de armas. Lessa é apontado como autor do disparos que mataram a parlamentar

(Foto: Agência Câmara)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) alertou para a necessidade de se avançar nas investigações sobre o assassinato da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL), após uma operação da polícia do Rio prender, nesta quarta-feira (10), o sargento do Corpo de Bombeiros Maxwell Simões Corrêa, de 44 anos, suspeito de ajudar o PM reformado Ronnie Lessa a se desfazer de armas, que teriam sido jogadas no mar após a prisão do policial, em março de 2019. Lessa é apontado como autor dos disparos que mataram a ex-parlamentar e morava no mesmo condomínio de Jair Bolsonaro.

"A prisão do bombeiro Maxwell Corrêa hoje é mais um passo importante dado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do RJ nas investigações sobre os assassinatos de Marielle e Anderson. Descobrir os mandantes da execução é crucial para a democracia. Quem mandou matar Marielle?", escreveu o parlamentar no Twitter.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247