Garotinho defende remodelação de UPPs: "puro marketing"

Deputado e pré-candidato ao governo do Rio defende que "a polícia precisa de treinamento adequado" e que os "jovens necessitam de oportunidades, com o estado entrando com ação social e serviços"; Anthony Garotinho (PR) lembra que, quando foi governador, foi observado o seguinte problema: "se não houvesse um programa social para essa faixa, de jovens entre 16 e 21 anos, de nada adiantaria o esforço" contra o tráfico

Deputado e pré-candidato ao governo do Rio defende que "a polícia precisa de treinamento adequado" e que os "jovens necessitam de oportunidades, com o estado entrando com ação social e serviços"; Anthony Garotinho (PR) lembra que, quando foi governador, foi observado o seguinte problema: "se não houvesse um programa social para essa faixa, de jovens entre 16 e 21 anos, de nada adiantaria o esforço" contra o tráfico
Deputado e pré-candidato ao governo do Rio defende que "a polícia precisa de treinamento adequado" e que os "jovens necessitam de oportunidades, com o estado entrando com ação social e serviços"; Anthony Garotinho (PR) lembra que, quando foi governador, foi observado o seguinte problema: "se não houvesse um programa social para essa faixa, de jovens entre 16 e 21 anos, de nada adiantaria o esforço" contra o tráfico (Foto: Gisele Federicce)

Rio 247 – O deputado federal e pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR), criticou nesta segunda-feira 14 as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), implementadas no governo de Sérgio Cabral (PMDB). Para ele, as UPPs são "puro marketing" e "precisam ser reformuladas". O ex-governador do Rio também reforçou que os policiais precisam de treinamento adequado e lembrou que, em sua gestão, os PMs só saíam às ruas após dois anos de treinamento (hoje eles podem ser escalados para atuar em uma UPP depois de seis meses).

As declarações foram feitas durante café da manhã com representantes do setor de Tecnologia da Informação, quando Garotinho se comprometeu a dar uma atenção especial ao segmento que pleiteia uma representatividade maior do governo do estado. O encontro foi mediado pelo presidente do Sindicato das Empresas de Informática do Rio, Benito Paret. Durante quase duas horas, o pré-candidato do PR ao governo estadual discursou e respondeu a perguntas.

Na opinião do parlamentar, se não houver programas sociais realizados em paralelo ao policiamento, não há resultados. Garotinho disse que, na implantação experimental do GPAE (Grupamento de Policiamento em Áreas Especiais) no Morro do Cavalão, em Niterói, em seu governo, foi observado o seguinte problema: "se não houvesse um programa social para essa faixa, jovens entre 16 e 21 anos, a faixa que mais morre e mais mata, e para evitar a fuga de bandidos, de nada adiantaria nosso esforço". Por isso, reforçou: "tem que investigar, prender os bandidos e entrar com projetos sociais".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247