Garotinho e Rosinha dizem que estão sendo perseguidos por denunciar Cabral

Os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho disseram em nota nesta quarta-feira que sua prisão se dá por causa de "perseguição" que eles alegam sofrer após denunciar corrupção na gestão do ex-governador Sérgio Cabral, que também está preso no âmbito da Operação Lava Jato; "os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho atribuem suas prisões a mais um capítulo da perseguição que vêm sofrendo desde que o ex-governador denunciou o esquema do governo Cabral e do desembargador Luiz Zveiter, diz a defesa dos Garotinho

Ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho ao lado de sua mulher, Rosinha Garotinho, no Rio de Janeiro 10/05/2006 REUTERS/Sergio Moraes
Ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho ao lado de sua mulher, Rosinha Garotinho, no Rio de Janeiro 10/05/2006 REUTERS/Sergio Moraes (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - Os ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho disseram em nota nesta quarta-feira que sua prisão se dá por causa de "perseguição" que eles alegam sofrer após denunciar corrupção na gestão do ex-governador Sérgio Cabral, que também está preso no âmbito da Operação Lava Jato.

Segue a íntegra da nota:

Os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho atribuem suas prisões a mais um capítulo da perseguição que vêm sofrendo desde que o ex-governador denunciou o esquema do governo Cabral e do desembargador Luiz Zveiter.

Não por acaso é Glaucenir de Oliveira quem assina os pedidos de prisão, o mesmo juiz que decretou a primeira prisão de Garotinho no ano passado, após este ter denunciado Zveiter à Procuradoria Geral da República.

Anthony Garotinho afirma ainda que nem ele nem nenhum dos acusados cometeu crime algum e, conforme dissera em seu programa de rádio, chegou a ser alertado por um agente penitenciário a respeito de uma reunião entre Sergio Cabral e Jorge Picciani no presídio de Benfica, na qual o presidente da

Alerj teria afirmado que iria dar um tiro na cara de Garotinho.

A perseguição é tão evidente que a ordem de prisão de Glaucenir foi no sentido de que Garotinho fosse conduzido para o presídio de Benfica, onde estão políticos cujos crimes só vieram à tona por causa das denúncias do ex-governador.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247