Gilmar Mendes mantém prisão de Dr. Jairinho

Ministro do STF negou habeas corpus

www.brasil247.com - Jairinho
Jairinho (Foto: Renan Olaz/CMRJ)


247 - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um novo habeas corpus apresentado pela defesa do ex-vereador do Rio de Janeiro Jairo de Souza Santos Júnior.

Jairinho, como o político é conhecido, tentava obter o mesmo benefício concedido a Monique Medeiros, que responde em liberdade pela morte do filho, o menino Henry Borel. O político  causou lesões graves na criança que ocasionaram a morte.

A decisão, publicada nesta quarta-feira (25), reforça que “se imputam aos acusados delitos que teriam sido cometidos de forma cruel, por meio de reiteradas agressões físicas, contra criança de tenra idade, causando-lhe reiterado e relevante sofrimento físico e moral".

Monique, lembra Gilmar, não é acusada de cometer o homicídio, mas de crime omissivo. “Embora podendo, teria deixado de agir para evitar as agressões ao filho menor e o consequente resultado morte”, diz o despacho.

Mais cedo, Monique foi afastada de suas funções da Secretaria Municipal de Educação do Rio, onde é funcionária concursada. Após ganhar liberdade, Monique voltou a trabalhar no órgão em uma função administrativa, no almoxarifado, com remuneração bruta de R$ 3,1 mil, em dezembro de 2022. (Com CartaCapital). 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247