Gleisi: Lula quer dignidade contra condução criminosa de processo por Moro

A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que o ex-presidente Lula "nunca abrirá mão de sua dignidade". "Tudo o que ele sempre quis foi um julgamento justo, pra provar sua inocência. Isso foi lhe tirado pela violência e maneira criminosa como Moro conduziu sua condenação. Lula não é teimoso, é político", disse

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), manifestou solidariedade a Luiz Inácio Lula da Silva, ao afirmar que o ex-presidente "nunca abrirá mão de sua dignidade". 

"Tudo o que ele sempre quis foi um julgamento justo, pra provar sua inocência. Isso foi lhe tirado pela violência e maneira criminosa como Moro conduziu sua condenação. Lula não é teimoso, é político", escreveu a parlamentar no Twitter.

Ao dizer que "Lula não é teimoso, é político", a congressista fez referência ao título de um texto publicado pelo jornalista Fernando Brito, do Tijolaço.

De acordo com a análise, "a notícia de que o ex-presidente Lula não quer aceitar o regime semiaberto(ou aberto, como é mais provável, pois seria inviável um 'entra-e-sai' diário do ex-presidente) deve ser lida pelo lado político, muito menos do que pelo jurídico".

"É, na situação vergonhosa em que se encontra o Judiciário brasileiro, a pressão que o ex-presidente pode exercer para que o Supremo faça o que é seu papel fazer: julgar a inconstitucionalidade da prisão antes do trânsito em julgado de sentenças e apreciar o que está já evidente, a parcialidade do então juiz Sérgio Moro, autor de sua sentença", disse (leia mais aqui).

O ex-presidente Lula determinou que seus advogados não peçam a mudança do regime fechado para o semiaberto ou aberto. Lula tem dito que só deixará a prisão caso seja absolvido ou com a anulação do processo que resultou na sua condenação. 

"O ex-presidente quer sair da prisão com o reconhecimento de que não praticou qualquer crime e que sua condenação foi imposta em um processo injusto", disse o advogado Cristiano Zanin (confira aqui).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247