“Imagem técnica” de Doria está arranhada depois de mudança abrupta de lockdown para abertura

Para aliados, o governador de São Paulo, João Doria, não deveria ter falado em abertura na semana seguinte à ameaça de "lockdown". O ideal seria ter dado mais tempo, anunciando o relaxamento em junho

(Foto: Sergio Andrade/GOVSP)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Aliados de João Doria (PSDB) avaliam que o governador de São Paulo erra ao permitir a reabertura de alguns setores econômicos na pandemia coronavírus. Também afirmam que o chefe do Executivo paulista cedeu a pressões do setor empresarial para relaxar a quarentena. Os relatos foram publicados no jornal Folha de S.Paulo

Em 20 de maio, Doria afirmou que tinha um protocolo de "lockdown" pronto. "Se nós não tivermos solidariedade, os índices crescerem ainda mais, e colocarmos em risco a vida das pessoas, seremos obrigados a adotar o 'lockdown'", disse. 

Surpreendentemente, no dia 25 o governador falou em reabertura. O governo anunciou a “nova fase do Plano São Paulo, que prevê a retomada das atividades econômicas a partir de critérios técnicos”. 

Para aliados, o governador não deveria ter falado em abertura na semana seguinte à ameaça de "lockdown". O ideal seria ter dado mais tempo, anunciando o relaxamento em junho. 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) colocou em dúvida a eficiência do relaxamento da quarentena no estado. "Vamos mal: gente na rua, especialmente nos bairros pobres, o que se entende. Como não sou médico nem falo sobre flexibilizar. Temo precipitações e recidivas. Sei que a economia conta: sem emprego, como viver? Na dúvida, passo a passo. Recuar se necessário, sem arrogâncias inúteis", escreveu ele no Twitter.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247