Jandira: se Temer assumir, “não conseguirá sair às ruas”

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) usou a tribuna da Câmara Federal para criticar um eventual governo do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), caso a presidente Dilma seja afastada; "Temer terá confronto para que esse governo não siga adiante. Ungido pelo golpe, Temer não conseguirá caminhar, não conseguirá sair às ruas", disse; segundo ela, o peemedebista é um "traidor da República, da democracia e do povo brasileiro"

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) usou a tribuna da Câmara Federal para criticar um eventual governo do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), caso a presidente Dilma seja afastada; "Temer terá confronto para que esse governo não siga adiante. Ungido pelo golpe, Temer não conseguirá caminhar, não conseguirá sair às ruas", disse; segundo ela, o peemedebista é um "traidor da República, da democracia e do povo brasileiro"
A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) usou a tribuna da Câmara Federal para criticar um eventual governo do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), caso a presidente Dilma seja afastada; "Temer terá confronto para que esse governo não siga adiante. Ungido pelo golpe, Temer não conseguirá caminhar, não conseguirá sair às ruas", disse; segundo ela, o peemedebista é um "traidor da República, da democracia e do povo brasileiro" (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) usou a tribuna da Câmara Federal para criticar um eventual governo do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), caso a presidente Dilma Rousseff (PT) seja afastada. "O governo Temer terá confronto para que esse governo não siga adiante. Se, ungido pelo golpe, Temer não conseguirá não conseguirá sair às ruas", disse. Segundo ela, Temer é um "traidor da República, da democracia e do povo brasileiro".

A parlamentar reforçou o fato de que boa parte dos políticos defensores do impeachment são investigados por corrupção e que "sobem à tribuna com discurso ética, de paladinos da moral, a começar pelo presidente da Câmara (Eduardo Cunha)". "E esse esse que comanda o processo para afastar uma presidente honesta". As declarações constam em vídeo publicado no Facebook da parlamentar.

Depois de lembrar que o empresário Ricardo Pernambuco Júnior, da Carioca Engenharia, afirmou em delação premiada na Operação Lava Jato que as empresas ligadas à construção do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro, teriam que pagar R$ 52 milhões em propinas [cerca de ou 1,5% do valor total dos Certificados de Potencial de Área Construtiva (Cepac)] a Cunha, Jandira pediu para políticos defensores do impeachment olharem para o patrimônio de Dilma Rousseff.

"Qual é a elevação do seu patrimônio nesses seis anos de governo. De que crime a acusam?"

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247