Justiça do Rio acolhe denúncia contra PM por morte de Ágatha

O policial militar Rodrigo José de Matos Soares, caso condenado, pode pegar de 12 a 30 anos de prisão por homicídio doloso qualificado, "por motivo torpe [fútil] e mediante recurso que dificultou a defesa das vítimas"

Ágatha Félix
Ágatha Félix (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Justiça do Rio de Janeiro acolheu na última quinta-feira (5) uma denúncia contra o policial militar Rodrigo José de Matos Soares pela morte de Ágatha Félix. A menina de 8 anos estava dentro de um veículo quando foi atingida. Ela voltava de um passeio com a mãe no dia 20 de setembro, no Complexo do Alemão.

Na terça (3) o Ministério Público (MP) acusou o PM por homicídio doloso qualificado, "por motivo torpe [fútil] e mediante recurso que dificultou a defesa das vítimas, em momento pacífico na localidade, com movimentação normal de pessoas e veículos". Rodrigo José de Matos Soares póde pegar de 12 a 30 anos de prisão.

O policial teve suspensa a autorização para porte de arma pela juíza Viviane de Faria, da 1ª Vara Criminal, e foi afastado das ruas. Ele também não pode entrar em contato com testemunhas, deve comparecer mensalmente ao juízo e não pode viajar. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247