Lapa vai ter operação permanente de segurança

Local é frequentado principalmente por turistas brasileiros e estrangeiros e viu violência aumentar recentemente; nas últimas semanas, o bairro registrou três mortes violentas, entre elas a de Conrado Chaves da Paz, 19 anos, assassinado com uma facada no coração na Avenida Chile, na madrugada do dia 1° deste mês, durante uma tentativa de assalto

Local é frequentado principalmente por turistas brasileiros e estrangeiros e viu violência aumentar recentemente; nas últimas semanas, o bairro registrou três mortes violentas, entre elas a de Conrado Chaves da Paz, 19 anos, assassinado com uma facada no coração na Avenida Chile, na madrugada do dia 1° deste mês, durante uma tentativa de assalto
Local é frequentado principalmente por turistas brasileiros e estrangeiros e viu violência aumentar recentemente; nas últimas semanas, o bairro registrou três mortes violentas, entre elas a de Conrado Chaves da Paz, 19 anos, assassinado com uma facada no coração na Avenida Chile, na madrugada do dia 1° deste mês, durante uma tentativa de assalto (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Douglas Corrêa
Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro – O aumento da violência na Lapa, tradicional bairro da capital fluminense, levou o governo do estado a lançar ontem (17) a Operação Lapa Presente com objetivo de intensificar o policiamento na região. O local é frequentado principalmente por turistas brasileiros e estrangeiros.

Nas últimas semanas, o bairro registrou três mortes violentas, entre elas a de Conrado Chaves da Paz, 19 anos, assassinado com uma facada no coração na Avenida Chile, na madrugada do dia 1° deste mês, durante uma tentativa de assalto.

A operação está prevista para iniciar no dia 1º de janeiro e será coordenada pela Secretaria de Governo. Ela ocorrerá todos os dias, sempre das 21h30 às 5h30, terá caráter permanente, seguindo os moldes da Operação Lei Seca. Ela vai envolver vários órgãos, inclusive o Conselho Tutelar.

O coordenador, major da Polícia Militar, Rodrigo Cereser, disse que "é a primeira vez que está sendo feita uma integração desse tipo”. “Não vamos apagar incêndio, vamos permanecer. Acredito que vamos atingir os nossos objetivos em curto prazo", acrescentou.

O patrulhamento será feito por um Policial militar, um guarda municipal e um agente da Secretaria de Governo. Eles andarão juntos e filmarão a atuação nas ruas. Todos estarão identificados com a logomarca da operação nos uniformes.

Após levantamento feito pelo setor de inteligência da Polícia Militar, a região da Lapa foi dividida em sete partes. Os agentes circularão de bicicleta, a pé ou em viaturas, dependendo da necessidade. Além disso, a Secretaria Municipal de Assistência Social fará vai acolher moradores de rua e crianças e adolescentes em risco social.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247