Light é citada na Zelotes por processos de quase R$ 1 bi

Uma troca de e-mails entre dois conselheiros do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) mostraria tentativas de negociatas com a empresa do setor de energia para se livrar de dívida com a Receita que soma R$ 929,3 milhões; na conversa, o ex-conselheiro Nelson Mallmann trata com o ex-sócio Paulo Roberto Cortez sobre os casos da Light e da Ampla, outra distribuidora de energia do Rio de Janeiro

www.brasil247.com - Uma troca de e-mails entre dois conselheiros do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) mostraria tentativas de negociatas com a empresa do setor de energia para se livrar de dívida com a Receita que soma R$ 929,3 milhões; na conversa, o ex-conselheiro Nelson Mallmann trata com o ex-sócio Paulo Roberto Cortez sobre os casos da Light e da Ampla, outra distribuidora de energia do Rio de Janeiro
Uma troca de e-mails entre dois conselheiros do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) mostraria tentativas de negociatas com a empresa do setor de energia para se livrar de dívida com a Receita que soma R$ 929,3 milhões; na conversa, o ex-conselheiro Nelson Mallmann trata com o ex-sócio Paulo Roberto Cortez sobre os casos da Light e da Ampla, outra distribuidora de energia do Rio de Janeiro (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 – A companhia Light, distribuidora de energia elétrica no estado do Rio de Janeiro, foi citada na Operação Zelotes, da Policia Federal, com processos que somam R$ 929,3 milhões.

Segundo reportagem de Gabriela Valente, do ‘Globo’, uma troca de e-mails entre dois conselheiros do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) mostra tentativas de negociatas com a empresa do setor de energia. Na conversa, o ex-conselheiro Nelson Mallmann trata com o ex-sócio Paulo Roberto Cortez sobre os casos da Light e da Ampla, outra distribuidora do Estado.

Questionada, a Light informou que não foi notificada pela Justiça sobre as investigações e assegura que "sempre agiu, e agirá, na forma da lei." A Ampla também nega envolvimento com os fatos mencionados (leia mais).

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email