Lindbergh: 'o que Temer está fazendo nunca houve na história'

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou nesta segunda (14) que não existem fundamentos jurídicos para o impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramita na Câmara; ele disse que não há uma acusação direta contra a presidente e considerou inconsistentes e frágeis os argumentos das pedaladas fiscais e dos decretos de abertura de créditos suplementares utilizados no pedido de impeachment; o petista também criticou o comportamento do vice-presidente Michel Temer (PMDB); "É um desrespeito, o vice-presidente tem que ter recato", afirmou

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou nesta segunda (14) que não existem fundamentos jurídicos para o impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramita na Câmara; ele disse que não há uma acusação direta contra a presidente e considerou inconsistentes e frágeis os argumentos das pedaladas fiscais e dos decretos de abertura de créditos suplementares utilizados no pedido de impeachment; o petista também criticou o comportamento do vice-presidente Michel Temer (PMDB); "É um desrespeito, o vice-presidente tem que ter recato", afirmou
O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou nesta segunda (14) que não existem fundamentos jurídicos para o impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramita na Câmara; ele disse que não há uma acusação direta contra a presidente e considerou inconsistentes e frágeis os argumentos das pedaladas fiscais e dos decretos de abertura de créditos suplementares utilizados no pedido de impeachment; o petista também criticou o comportamento do vice-presidente Michel Temer (PMDB); "É um desrespeito, o vice-presidente tem que ter recato", afirmou (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou nesta segunda-feira (14) que não existem fundamentos jurídicos para o impeachment da presidente Dilma Rousseff que tramita na Câmara dos Deputados. Lindbergh disse que não há uma acusação direta contra a presidente e considerou inconsistentes e frágeis os argumentos das pedaladas fiscais e dos decretos de abertura de créditos suplementares utilizados no pedido de impeachment. Ele também criticou o comportamento do vice-presidente Michel Temer (PMDB).

Lindbergh ressaltou que todos os governos praticaram as pedaladas fiscais e explicou que as leis orçamentárias previam a possibilidade de abertura de créditos suplementares sem autorização legislativa, desde que a meta de superávit primário fosse cumprida. Segundo o senador, ao aprovar a alteração da meta, o Congresso legitimou os decretos de créditos suplementares assinados por Dilma.

"Naquela denúncia contra Fernando Collor de Mello, ali tinha um crime de responsabilidade claro. Foram encontradas contas do PC Farias e contas fantasmas, tinham coisas concretas. Quais argumentos estão lançando para o impeachment da presidente Dilma? Não há uma acusação direta contra ela. As pessoas têm que entender que podem ter as maiores discordâncias do governo dela. Agora, a presidente Dilma é uma mulher honrada e honesta e não tem denúncia contra ela", afirmou.

Lingbergh Farias criticou ainda a postura do vice-presidente Michel Temer de conspirar para derrubar Dilma. Segundo ele, o vice-presidente deveria manter o recato e respeitar suas responsabilidades institucionais. Na opinião do senador, caso Temer assumisse a presidência, o hipotético governo seria uma tragédia histórica.

"O que Michel Temer está fazendo, nunca houve na história", afirmou Lindbergh sobre a forma como o vice-presidente está conspirando nos bastidores na tentativa de derrubar a presidente e assumir o poder. Ele lembrou que, no caso do impeachment de Collor, o então vice Itamar Franco jamais se envolveu no processo: “É um desrespeito, o vice-presidente tem que ter recato!”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email