Manifestantes fazem protesto no dia em que Cabral completa um ano preso

Nesta sexta-feira (17), dia em que Sérgio Cabral completa um ano preso, um grupo de manifestantes fez um protesto contra o ex-governador em frente à Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio; com cartazes, tambores e até espumantes, os manifestantes também cobravam a permanência do presidente da Assembleia Legislativa (Alerj), Jorge Picciani, e dos deputados Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB, na prisão; Cabral foi preso no dia 17 de novembro de 2016, na Operação Calicute, acusado de receber propina para fechar contratos públicos; o ex-governador é réu em 16 processos, e já tem três condenações

Nesta sexta-feira (17), dia em que Sérgio Cabral completa um ano preso, um grupo de manifestantes fez um protesto contra o ex-governador em frente à Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio; com cartazes, tambores e até espumantes, os manifestantes também cobravam a permanência do presidente da Assembleia Legislativa (Alerj), Jorge Picciani, e dos deputados Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB, na prisão; Cabral foi preso no dia 17 de novembro de 2016, na Operação Calicute, acusado de receber propina para fechar contratos públicos; o ex-governador é réu em 16 processos, e já tem três condenações
Nesta sexta-feira (17), dia em que Sérgio Cabral completa um ano preso, um grupo de manifestantes fez um protesto contra o ex-governador em frente à Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio; com cartazes, tambores e até espumantes, os manifestantes também cobravam a permanência do presidente da Assembleia Legislativa (Alerj), Jorge Picciani, e dos deputados Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB, na prisão; Cabral foi preso no dia 17 de novembro de 2016, na Operação Calicute, acusado de receber propina para fechar contratos públicos; o ex-governador é réu em 16 processos, e já tem três condenações (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jornal do Brasil - Nesta sexta-feira (17), dia em que Sérgio Cabral completa um ano preso, um grupo de manifestantes fez um protesto contra o ex-governador em frente à Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio. Com cartazes, tambores e até espumantes, os manifestantes também cobravam a permanência do presidente da Assembleia Legislativa (Alerj), Jorge Picciani, e dos deputados Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB, na prisão.

Os três parlamentares foram presos na quinta-feira (16), após decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2).

Cabral foi preso no dia 17 de novembro de 2016, na Operação Calicute, acusado de receber propina para fechar contratos públicos. O ex-governador é réu em 16 processos, e já tem três condenações. Ele foi condenado pelo juiz Sergio Moro a 14 anos de prisão na Operação Lava Jato, e pelo juiz Marcelo Bretas a 45 anos na Operação Calicute, e a 13 anos na Operação Mascate, somando 72 anos.

Recentemente, Cabral se envolveu em pelo menos duas polêmicas na cadeia. A primeira quando teve uma discussão com o juiz Marcelo Bretas, durante depoimento, e fez insinuações sobre a atuação da família do magistrado no ramo de joias. Bretas entendeu as insinuações como ameaças e decidiu transferi-lo para um presídio federal. Contudo, a decisão foi revertida pelo ministro do Supremo Tribunal federal, Gilmar Mendes.

Outra polêmica diz respeito á instalação de um "cinema VIP" na cadeia onde Cabral está preso. Inicialmente, a informação era de que os equipamentos (televisão de tela grande, home theater, aparelho de DVD e uma variedade de filmes) teriam sido doados por uma igreja. Contudo, pastores negaram a doação, e afirmaram que Cabral havia os convencido a assinar papeis simulando que o equipamento, que já estava na cadeia, teria sido providenciado pela igreja.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247