Manuela destaca que crise tem impacto mais severo sobre as mulheres

Em debate com mulheres no Rio, a deputada estadual e pré-candidata do PCdoB à presidência, Manuela D´Ávila, lembrou que "nós vivemos num golpe misógino, que construiu um governo sem legitimidade social e que tem como característica central ser antidemocrático"; ela destacou ainda que "a crise tem impacto mais severos em cima das mulheres do que os homens"

Manuela D'Ávila
Manuela D'Ávila (Foto: Gisele Federicce)

Rio 247 - Uma das participantes do evento "Saídas para a crise: um olhar das mulheres", com diversas outras mulheres, a deputada estadual e pré-candidata do PCdoB à presidência, Manuela D´Ávila, lembrou que o golpe que derrubou Dilma Rousseff foi misógino.

"Nós vivemos num golpe misógino, que construiu um governo sem legitimidade social e que tem como característica central ser antidemocrático", destacou. Manuela afirmou ainda que "a crise tem impacto mais severos em cima das mulheres do que os homens" e que "a reforma trabalhista penaliza o conjunto dos trabalhadores. Mas mais ainda às mulheres".

"A nossa construção do projeto nacional de desenvolvimento é para o povo brasileiro, para as mulheres do Brasil, para os negros e negras do Brasil . Para quem seria esse projeto se não fosse para o seu povo?", discursou a parlamentar. 

"Nós acreditamos que o desenvolvimento do país passa por investimentos na indústria 4.0. De cada mil brasileiros que entram na graduação, apenas 22 entram na área de tecnologia. Apenas um é mulher. As razões disso são culturais, as mulheres não são incentivadas para isso", declarou.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247