Minas registra suspeita de 1º caso de coronavírus no Brasil

De acordo com comunicado da Secretaria de Saúde de Minas, a paciente esteve em Shangai, na China, na última semana; novo vírus de uma cepa desconhecida de coronavírus matou seis pessoas na China e registrou até o momento 300 casos de infecção

(Foto: CNN)

Carta Capital - A Secretaria de Saúde de Minas Gerais divulgou, nesta quarta-feira 22, que um possível caso de paciente com coronavírus está sendo investigado na capital Belo Horizonte. Segundo nota divulgada, a paciente é uma mulher de 35 anos que esteve em Shangai, na China, até a última semana.

“Em 21/01/2020 foi identificada na UPA Centro Sul de Belo Horizonte uma paciente, brasileira, de 35 anos, proveniente da China (esteve em Shangai) e que desembarcou em Belo Horizonte no dia 18/01, com sintomas respiratórios, compatíveis com doença respiratória viral aguda”, informa a Secretaria.

O caso ainda está sob investigação e é tratado como suspeito, já que a paciente não apresenta sinais de gravidade clínica comprovada. Por precaução, a Secretaria informou que foram tomadas “todas as medidas assistenciais para redução de risco de transmissão”.

“Este caso foi notificado como suspeito para coronavírus e a paciente está clinicamente estável e o caso segue em investigação”, diz a nota, divulgada no site do órgão. Ainda de acordo com o comunicado, os exames que podem comprovar o primeiro caso de coronavírus estão sendo rodados pela equipe de saúde.

A paciente disse aos médicos que não esteve presente na região de Wunhan, e relatou que não teve contato com qualquer pessoa sintomática na China.

Um novo vírus de uma cepa desconhecida de coronavírus matou seis pessoas na China e registrou até o momento 300 casos de infecção. O país, que está prestes a entrar em um feriado longo, teme que o vírus se propague mais rapidamente por causa da alta movimentação. Cerca de 920 pessoas se encontram em observação como possíveis infectados.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247