Ministério Público pede sequestro de criptoativos de presos em operação contra o MBL

Solicitação do Ministério Público envolve investimentos de sete pessoas ligadas ao MBL e vem na esteira da prisão de dois empresários ligados ao movimento de direita sob a acusação de desvios de mais de R$ 400 milhões de empresas

(Foto: Valter Campanato/Agência Brasil | Divulgação Polícia Civil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público solicitou que as plataformas que operam com criptomoedas sequestrem os investimentos de sete pessoas ligadas ao Movimento Brasil Livre (MBL). Solicitação veio após dois empresários ligados ao movimento de direita serem presos em São Paulo acusados do desvio de mais de R$ 400 milhões de empresas. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

Neste sábado, a sede do MBL em São Paulo voltou a ser alvo de buscas em uma operação do Ministério Público contra a lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio. O MBL foi fundado em 2014 com o objetivo de desestabilizar o governo da então Dilma Roussef.

Assumindo-se como grupo de direita, o MBL tornou-se uma organização política com objetivo de eleger seus principais líderes, entre eles o deputado federal Kim Kataguiri. MBL apoiou o governo de Jair Bolsonaro nas eleições de 2018, mas rompeu com ele no final do ano passado. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email