Molon: suspensão de portaria do trabalho escravo afeta votação contra Temer

"Essa vitória que é extremamente importante do ponto de vista civilizatório pro Brasil, evitando um retrocesso de séculos que o presidente da República queria impor ao país, tem impactos também na votação de amanhã, já que Temer queria trocar votos por escravos", ressaltou o deputado Alessandro Molon, da Rede, em entrevista coletiva; ao suspender os efeitos da portaria, a ministra Rosa Weber, do STF, atendeu a um pedido do partido

"Essa vitória que é extremamente importante do ponto de vista civilizatório pro Brasil, evitando um retrocesso de séculos que o presidente da República queria impor ao país, tem impactos também na votação de amanhã, já que Temer queria trocar votos por escravos", ressaltou o deputado Alessandro Molon, da Rede, em entrevista coletiva; ao suspender os efeitos da portaria, a ministra Rosa Weber, do STF, atendeu a um pedido do partido
"Essa vitória que é extremamente importante do ponto de vista civilizatório pro Brasil, evitando um retrocesso de séculos que o presidente da República queria impor ao país, tem impactos também na votação de amanhã, já que Temer queria trocar votos por escravos", ressaltou o deputado Alessandro Molon, da Rede, em entrevista coletiva; ao suspender os efeitos da portaria, a ministra Rosa Weber, do STF, atendeu a um pedido do partido (Foto: Gisele Federicce)

Jornal do Brasil - O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) comentou sobre a decisão do STF de suspender a portaria publicada pelo governo de Michel Temer, que modificava os critérios de fiscalização e punição para o trabalho escravo no Brasil. A liminar atendeu a um pedido da Rede Sustentabilidade.

Para Molon, a ação da Corte afeta as movimentações de Temer para lidar com a votação da segunda denúncia contra ele na Câmara, nesta quarta-feira (25).

"Essa vitória que é extremamente importante do ponto de vista civilizatório pro Brasil, evitando um retrocesso de séculos que o presidente da República queria impor ao país, tem impactos também na votação de amanhã, já que Temer queria trocar votos por escravos", ressaltou Molon, em entrevista coletiva no início da tarde desta terça-feira (24).

A ministra do STF Rosa Weber concedeu na manhã desta terça uma liminar à ADPF da Rede Sustentabilidade, suspendendo os efeitos da portaria 1.129 do Ministério do Trabalho, até que o mérito da ação seja julgado em plenário. Com isto, enquanto a liminar vigorar, a polêmica nova portaria do governo Temer fica sem validade.

"O Supremo Tribunal Federal, através da ministra Rosa Weber, impediu que este comércio fosse feito aqui na Câmara", completou Molon, destacando que o Supremo tirou a "moeda de troca" de Temer para a votação da denúncia.

Molon acredita que a decisão do Supremo afeta a principal bancada de apoio a Temer na votação desta quarta-feira, a bancada ruralista, o que pode representar muitos votos. "Temer ofereceu uma mercadoria que não pode entregar, felizmente, graças a ação da Rede e da ministra Rosa Weber."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247