MP denuncia deputado do Rio por ter chefiado esquema de 'rachadinha'

De acordo com MP, auxílio educacional concedidos aos servidores eram recolhidos pelo gabinete do deputado Marco Figueiredo (Pros-RJ). Implicado em esquema semelhante, o senador Flávio Bolsonaro teve investigação suspensa pelo ministro Gilmar Mendes

(Foto: Reprodução/Facebook oficial)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou o deputado estadual Marco Figueiredo (Pros) pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro no esquema conhecido como "rachadinha" envolvendo o auxílio educacional concedido aos servidores da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). 

Encaminhada à Justiça há 15 dias, a suspeita é de que a prática ocorria há dez anos. Uma ex-funcionária do deputado, Rosângela Prado, coletou provas durante um ano e entregou ao MP-RJ indícios do recolhimento de salários e benefícios de servidores por políticos.

Entre as vítimas do esquema encontradas pelo programa "Fantástico", da TV Globo, estão os seis filhos de uma mulher que nunca trabalhou na Alerj, e que sempre estudaram em escolas públicas.

Na última semana, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, atendeu a um pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro e suspendeu todas as investigação contra o político. Flávio Bolsonaro sempre negou qualquer irregularidade, mas, no Caso Queiroz, ele foi alvo de uma investigação sobre a prática de "rachadinha" que teria acontecido no gabinete de Flávio na Alerj.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro denunciou a existência de uma organização criminosa no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro, que desviava recursos públicos e mostrava movimentações financeiras suspeitas que envolviam Flávio e seus assessores parlamentares.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email