MP-SP denuncia ex-secretário do Governo Alckmin por R$ 7,2 mi em propinas

De acordo com a acusação, Moacir Rossetti, ex-secretário-adjunto na secretaria de Governo do Estado (gestão Alckmin), constituiu empresas de fachada, ditas de ‘consultoria’, para captação de R$ 7,2 milhões em propinas da Estre Ambiental e da Estre Petróleo, Gás e Energia. Em troca, essas duas últimas teriam sido favorecidas em contratos com a administração

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) denunciou à Justiça o ex-secretário-adjunto na secretaria de Governo do Estado (gestão Alckmin) Moacir Rossetti por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa. De acordo com a acusação, Rossetti constituiu empresas de fachada, ditas de ‘consultoria’ – MN Gestão Empresarial e MSA Gestão Empresarial -, para captação de R$ 7,2 milhões em propinas da Estre Ambiental e da Estre Petróleo, Gás e Energia. Em troca, essas duas últimas teriam sido favorecidas em contratos com a administração. Alckmin não foi investigado nem é citado na denúncia.

Rossetti já havia sido denunciado, em fevereiro de 2019, pelo suposto recebimento de propina de R$ 289 mil da empreiteira Camargo Corrêa, em 2012.

De acordo com a promotoria, durante a investigação, foram solicitados aos acusados, então representantes da Estre Ambiental S.A. e Estre Petróleo, Gás e Energia Ltda, cópias dos contratos que alegaram ter realizado com as empresas MN Gestão Empresarial e MSA Gestão Empresarial, "para conferir a necessidade e a justificativa dos expressivos valores pagos R$ 7.287.173,00". Os relatos foram publicados no blog do Fausto Macedo

Somente três cópias de contratos foram entregues. O promotor Marcelo Batlouni Mendroni destacou que os contratos foram redigidos apenas para servirem de "contratos de gaveta", ou seja, apenas para justificar os valores transferidos às empresas "sem que os serviços previstos fossem efetivamente realizados".

"A ausência de sua demonstração revela que na verdade eles (serviços) não foram executados", ressalta Mendroni. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247