MPF denuncia cinco conselheiros do TCE-RJ

O Ministério Público Federal apresentou denúncia contra os cinco conselheiros afastados do TCE-RJ - Aloysio Guedes, Domingos Brazão, José Gomes Graciosa, Marco Antônio de Alencar, e José Maurício Nolasco; eles são suspeitos de fazer parte de um esquema de cobrança de propina que pode ter desviado até 20% de contratos com órgãos públicos para autoridades públicas, principalmente para integrantes do Tribunal de Contas e da Assembleia Legislativa do Rio durante o governo Sérgio Cabral

O Ministério Público Federal apresentou denúncia contra os cinco conselheiros afastados do TCE-RJ - Aloysio Guedes, Domingos Brazão, José Gomes Graciosa, Marco Antônio de Alencar, e José Maurício Nolasco; eles são suspeitos de fazer parte de um esquema de cobrança de propina que pode ter desviado até 20% de contratos com órgãos públicos para autoridades públicas, principalmente para integrantes do Tribunal de Contas e da Assembleia Legislativa do Rio durante o governo Sérgio Cabral
O Ministério Público Federal apresentou denúncia contra os cinco conselheiros afastados do TCE-RJ - Aloysio Guedes, Domingos Brazão, José Gomes Graciosa, Marco Antônio de Alencar, e José Maurício Nolasco; eles são suspeitos de fazer parte de um esquema de cobrança de propina que pode ter desviado até 20% de contratos com órgãos públicos para autoridades públicas, principalmente para integrantes do Tribunal de Contas e da Assembleia Legislativa do Rio durante o governo Sérgio Cabral (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - O Ministério Público Federal apresentou nesta terça-feira (27) denúncia contra os cinco conselheiros afastados do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro - Aloysio Guedes, Domingos Brazão, José Gomes Graciosa, Marco Antônio de Alencar, e José Maurício Nolasco.

Eles são suspeitos de fazer parte de um esquema de cobrança de propina que pode ter desviado até 20% de contratos com órgãos públicos para autoridades públicas, principalmente para integrantes do Tribunal de Contas e da Assembleia Legislativa do Rio durante o governo Sérgio Cabral.

Os cinco foram presos temporariamente na Operação Quinto do Ouro, em 29 de março de 2017, e foram soltos no dia 7 de abril, mas continua afastados de suas funções desde então. A operação teve como base a delação premiada do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado Jonas Lopes.

Na denúncia, enviada ao Superior Tribunal de Justiça, o MPF também pediu a prorrogação do afastamento dos conselheiros até a apreciação da denúncia pela corte especial do STJ.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247