MPRJ prende 2 policiais apontados como chefes de organização criminosa em operação contra milícia no Rio

Quatro suspeitos, integrantes de milícia que atua na Zona Oeste do Rio de Janeiro, foram presos na manhã desta quinta-feira, sendo dois policiais apontados como chefes de organização criminosa

O MPRJ informou que instaurou inquérito civil para investigar a segurança nas escolas que ficam em regiões de conflitos na capital; o anúncio veio após a morte da menina Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, baleada dentro da Escola Municipal Jornalista Escritor Daniel Piza, na Pavuna, durante confronto entre policiais e suspeitos, no último dia 30; segundo o MPRJ, no dia seguinte à morte de Maria Eduarda, cerca de 12 mil estudantes ficaram sem aulas, o que acontece com frequência em algumas regiões da cidade
O MPRJ informou que instaurou inquérito civil para investigar a segurança nas escolas que ficam em regiões de conflitos na capital; o anúncio veio após a morte da menina Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, baleada dentro da Escola Municipal Jornalista Escritor Daniel Piza, na Pavuna, durante confronto entre policiais e suspeitos, no último dia 30; segundo o MPRJ, no dia seguinte à morte de Maria Eduarda, cerca de 12 mil estudantes ficaram sem aulas, o que acontece com frequência em algumas regiões da cidade (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) deflagrou, nesta quinta-feira (30), uma operação contra uma milícia que atua na Zona Oeste do Rio. A informação é do portal G1. Quatro suspeitos foram presos até as 7h20, sendo dois policiais apontados como chefes de organização criminosa. 

Segundo a promotoria, o grupo é responsável por crimes de exploração e comercialização de sinais clandestinos de televisão a cabo, conhecido como “gatonet”, venda de cigarros ilegais e exploração de pontos de mototáxi, acrescenta a reportagem

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247