Na tribuna, Garotinho diz que “Cabral virou pó”

Líder do PR acusa governo do Estado de ter abandonado programa de restaurantes populares e investir em concurso gastronômico entre endereços estrelados da Zona Sul do Rio de Janeiro; "Sergio Cabral privilegia a elite, por isso é vaiado por onde passa", desferiu Garotinho; ele lidera as pesquisas de intenção de voto para a eleição de governador; "Há apenas uma unanimidade no Brasil hoje, contra Cabral"

Líder do PR acusa governo do Estado de ter abandonado programa de restaurantes populares e investir em concurso gastronômico entre endereços estrelados da Zona Sul do Rio de Janeiro; "Sergio Cabral privilegia a elite, por isso é vaiado por onde passa", desferiu Garotinho; ele lidera as pesquisas de intenção de voto para a eleição de governador; "Há apenas uma unanimidade no Brasil hoje, contra Cabral"
Líder do PR acusa governo do Estado de ter abandonado programa de restaurantes populares e investir em concurso gastronômico entre endereços estrelados da Zona Sul do Rio de Janeiro; "Sergio Cabral privilegia a elite, por isso é vaiado por onde passa", desferiu Garotinho; ele lidera as pesquisas de intenção de voto para a eleição de governador; "Há apenas uma unanimidade no Brasil hoje, contra Cabral" (Foto: Marco Damiani)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Nem mesmo um concurso gastronômico para promover o Rio de Janeiro como pólo de restaurantes sofisticados escapou às críticas que cercam os movimentos do governador Sergio Cabral. Pré-candidato ao governo do Estado pelo PR, em 2014, o deputado Anthony Garotinho ocupou a tribuna da Câmara para acusar o governo do Estado de ter desmontado o programa de restaurantes populares, criado no governo dele, nos quais são servidas refeições ao preço de R$ 1.

"Para manter e ampliar os restaurantes populares, o governo do Estado diz não ter dinheiro, mas para patrocinar um concurso de restaurantes de elite, onde comem os homens mais poderosos do Rio de Janeiro, aí tem dinheiro", comparou Garotinho.

Ele prosseguiu batendo de frente com Cabral, fiel em sua estratégia de consolidar a candidatura do PR ao Palácio Guanabara como oposição integral à administração do PMDB. "Cabral é um político decadente por esse tipo de escolha, a favor da elite e contra os trabalhadores. É por isso que ele não pode entrar em casa, é por isso o Palácio Guanabara vive cercado, é por isso que ele é vaiado por onde passa".

Até 18h00, o governo do Estado não havia respondido ao pronunciamento de Garotinho.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email