Número de mortes sobe, mas Jungmann quer estender intervenção no Rio

O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, defendeu que a intervenção na segurança pública do estado do Rio vá até 2019 e não termine em dezembro deste ano, como está previsto; relatório do Instituto de Segurança Pública apontou que o Rio teve aumento de 46% em mortes durante ações policiais em maio deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado

O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, defendeu que a intervenção na segurança pública do estado do Rio vá até 2019 e não termine em dezembro deste ano, como está previsto; relatório do Instituto de Segurança Pública apontou que o Rio teve aumento de 46% em mortes durante ações policiais em maio deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado
O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, defendeu que a intervenção na segurança pública do estado do Rio vá até 2019 e não termine em dezembro deste ano, como está previsto; relatório do Instituto de Segurança Pública apontou que o Rio teve aumento de 46% em mortes durante ações policiais em maio deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado (Foto: Leonardo Lucena)

247 - O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, defendeu nesta sexta-feira (15) que a intervenção federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro vá até 2019 e não termine em dezembro deste ano, como está previsto.

A intervenção começará a apresentar resultados, na avaliação do ministro. "Dado o avanço que vai acontecer, os futuros governantes do Rio de Janeiro agiria de bom senso em prolongar, pelo menos, por mais um ano essa intervenção", acrescentou.

Nesta sexta-feira (15), um relatório do Instituto de Segurança Pública ISP apontou que o Rio teve aumento de 46% em mortes durante ações policiais em maio deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram verificadas 142 mortes neste ano e 97 no mesmo período do ano passado. Em relação a abril, foram 41 vítimas a mais. O auto de resistência é registrado quando há enfrentamento de criminosos com as forças de segurança do estado.

O indicador estratégico de letalidade violenta (homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e homicídio decorrente de oposição à intervenção policial) também registrou aumento de 33 vítimas no estado em maio de 2018, na comparação com o mesmo período do ano passado. Foram registradas 576 vítimas de letalidade violenta no mês, que representa aumento de 6%. No entanto, em relação ao mês de abril, foram 16 vítimas a menos.

Já o indicador de roubo de veículos apresentou redução em maio, confirmando a melhora verificada no mês anterior. Foram 4.382 veículos roubados no estado, o que representa queda de 5% em relação a maio do ano passado, ou 214 roubos a menos. O município de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, foi a região onde ocorreu o maior número de roubo de veículos, com um aumento de 27% (ou 141 casos a mais) quando comparado com maio de 2017. A região concentrou 15% do total de roubos de veículos.

*Com informações da Agência Brasil

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247