Odebrecht anuncia devolução do Maracanã ao Rio

Em carta enviada à Secretaria da Casa Civil no dia 16 de junho pela Concessionaria Maracanã, formada pela Odebrecht (95%) e pela norte-americana AEG (5%), o grupo alega que não conseguiu rever o contrato de cessão da arena; a concessão foi firmada por 35 anos; no acordo, o grupo poderia derrubar o parque aquático e o estádio de atletismo para erguer um centro comercial e estacionamentos, mas a medida foi proibida

Em carta enviada à Secretaria da Casa Civil no dia 16 de junho pela Concessionaria Maracanã, formada pela Odebrecht (95%) e pela norte-americana AEG (5%), o grupo alega que não conseguiu rever o contrato de cessão da arena; a concessão foi firmada por 35 anos; no acordo, o grupo poderia derrubar o parque aquático e o estádio de atletismo para erguer um centro comercial e estacionamentos, mas a medida foi proibida
Em carta enviada à Secretaria da Casa Civil no dia 16 de junho pela Concessionaria Maracanã, formada pela Odebrecht (95%) e pela norte-americana AEG (5%), o grupo alega que não conseguiu rever o contrato de cessão da arena; a concessão foi firmada por 35 anos; no acordo, o grupo poderia derrubar o parque aquático e o estádio de atletismo para erguer um centro comercial e estacionamentos, mas a medida foi proibida (Foto: Roberta Namour)

247 - A Odebrecht anunciou, nesta segunda-feira (27), a devolução do Maracanã ao Estado do Rio de Janeiro.

Em carta enviada à Secretaria da Casa Civil no dia 16 de junho pela Concessionaria Maracanã, formada pela Odebrecht (95%) e pela norte-americana AEG (5%), o grupo alega que não conseguiu rever o contrato de cessão da arena.

"A Concessionária reforça que tem feito um trabalho contínuo para reduzir os custos fixos, minimizar os prejuízos operacionais e se adequar aos impactos da alteração unilateral do contrato de concessão e aos períodos de interrupção da operação como na Copa do Mundo (2014) e Jogos Rio 2016", diz a nota.

A concessão foi firmada por 35 anos. No acordo, o grupo poderia derrubar o parque aquático e o estádio de atletismo para erguer um centro comercial e estacionamentos. Mas a medida foi proibida.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247