Operação Boca Aberta prende ex-chefe de UPP

Capito Adoaldo Luiz Piedade comandou Unidade Pacificadora do Morro do So Carlos; foi preso hoje, acusado de associao com o trfico; ele faria parte de um esquema de propina de R$ 15 mil mensais; oito esto foragidos; ser que a UPP foi contaminada?

247 – A Operação Boca Aberta, da Polícia Federal, prendeu hoje no Rio o ex--comandante da UPP do Morro do São Carlos, capitão Adoaldo Luiz Piedade, o capitão Anderson de Azevedo e um ex-soldado da unidade, acusados de associação com o tráfico de drogas. Segundo as investigações da PF e da subsecretaria de Inteligência do Estado, eles receberiam propina de R$ 15 mil mensais para permitir a venda de drogas no morro e entre os comparsas do traficante Sandro Luiz de Paula Amorim, o Peixe, preso pouco antes da ocupação da favela da Rocinha. Oito integrantes do mesmo esquema estão sendo procurados pela PF com mandados de prisão expedidos. A UPP do Morro do São Carlos conta com 250 policiais. Foi instalada em 17 de abril de 2011.

Em Bangu, os irmãos Douglas e Alex Moura Matos foram presos em casa, sob a suspeita de tráfico. Policiais do 14º BPM (Bangu), com mandados de prisões, conseguiram encontrar os acusados em uma casa da Rua Projetada B, número 36. Com a dupla foram encontradas uma pistola calibre 380 com numeração raspada e dinheiro. Os soldados da PM levaram os presos para a sede da Polícia Federal, na Praça Mauá.

Na quarta-feira 15, nada menos que 300 quilos de maconha, 107 frascos de lança-perfume e carregadores e munição para fuzil foram apreendidas no Morro dos Dezoito, em Água Santa, na zona norte. Foi o início da Operação Boca Aberta.

Leia mais:

Agência Brasil - A Polícia Federal (PF) prendeu 11 pessoas na manhã de hoje (15), no Rio de Janeiro, durante a Operação Boca Aberta para conter o tráfico de drogas. De acordo com a assessoria de imprensa da PF, entre os detidos estão policiais militares e um ex-comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do São Carlos, na zona norte. Ao todo, foram expedidos 19 mandados de prisão e seis de busca e apreensão.

As investigações, conduzidas pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal, começaram há dez meses, após o recebimento de denúncias sobre a existência de pontos de venda de drogas no complexo de favelas do São Carlos.

Durante a operação – feita em conjunto com o Batalhão de Choque, o Batalhão de Operações Especiais, o Grupamento Aéreo e Marítimo da Polícia Militar –, também foram apreendidos mais de 320 quilos de maconha, 107 frascos de lança-perfume, além de material para embalar a droga, carregadores e munição de fuzil, radiocomunicadores e uma balança de precisão.

Uma coletiva de imprensa será concedida às 14h, na Superintendência Regional da PF no Rio de Janeiro, na zona portuária, para dar mais informações sobre a ação.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247