Operação em SP mira novas lideranças do PCC

Polícia Militar cumpre na manhã desta segunda-feira 40 mandados de busca e apreensão e 12 mandados de prisão preventiva.

PCC ensina a fabricar bombas
PCC ensina a fabricar bombas (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  A maior facção criminosa paulista, que atua dentro e fora de presídios ao redor do país, o PCC, é alvo do Ministério Público de São Paulo, em atuação conjunta com a Polícia Militar, que cumpre na manhã desta segunda-feira 40 mandados de busca e apreensão e 12 mandados de prisão preventiva. 

Segundo reportagem do jornal O Globo, a operação tem como alvos criminosos que teriam assumido o controle da facção após a ida de algumas de suas principais lideranças para presídios federais no ano passado. A investigação começou em 2018, após a prisão de um criminoso apelidado de Tubarão. Ele era responsável pelo setor financeiro da facção e, com ele, foram apreendidos diversos documentos e planilhas de contabilidade do grupo criminoso.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247