Orlando Silva vai ao STF e cobra instauração de inquérito contra Bolsonaro por racismo

Segundo o documento apresentado pelo deputado do PCdoB-SP, houve "um claro intuito de associar a pessoa negra a um animal, explicitando o racismo da conduta"

www.brasil247.com - Orlando Silva
Orlando Silva (Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)


247 - O deputado federal Orlando Silva (PCdoB-SP) recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) e pediu a instauração de um inquérito policial contra Jair Bolsonaro (PL) por crime de racismo, após dizer, nessa quinta-feira (12), que 'negros são pesados em arrobas'.

De acordo com o documento apresentado pelo deputado, a declaração de Bolsonaro "possui cunho inegavelmente racista, tendo em vista que arroubas é uma medida utilizada para pesar animais". "Ao utilizar o termo, há um claro intuito de associar a pessoa negra a um animal, explicitando o racismo da conduta", destacou.

>>> Rui Falcão: racismo é crime inafiançável e Bolsonaro deve ser preso

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Importante dizer que tal declaração reveste-se de especial gravidade na medida em que é cometida pelo Presidente da República, cargo de especial relevância, às vésperas do aniversário da abolição da escravatura", continuou Orlando Silva.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Ante o exposto, requer seja a presente petição autuada e determinada a instauração de inquérito policial para apuração dos fatos descritos, além de encaminhada à Procuradoria Geral da República para providências".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Partido dos Trabalhadores recorreu ao STF e protocolou uma notícia-crime contra Bolsonaro.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email