Paes nega relação com conta de Romário na Suíça

Prefeito do Rio disse ter um acordo com o senador Romário (PSB) por apoio à candidatura do secretário Pedro Paulo (PMDB) em 2016, caso o ex-jogador não se candidate à Prefeitura; o peemedebista negou, no entanto, que o entendimento envolva uma suposta conta do ex-craque na Suíça, bem como sua ocultação; segundo Eduardo Paes, o encontro citado na gravação que baseou a prisão do senador Delcídio Amaral (PT-MS) tinha como objetivo a discussão de um projeto de lei no Senado; Romário negou o acordo, mas confirmou a versão de Paes sobre o encontro com Delcídio

Prefeito do Rio disse ter um acordo com o senador Romário (PSB) por apoio à candidatura do secretário Pedro Paulo (PMDB) em 2016, caso o ex-jogador não se candidate à Prefeitura; o peemedebista negou, no entanto, que o entendimento envolva uma suposta conta do ex-craque na Suíça, bem como sua ocultação; segundo Eduardo Paes, o encontro citado na gravação que baseou a prisão do senador Delcídio Amaral (PT-MS) tinha como objetivo a discussão de um projeto de lei no Senado; Romário negou o acordo, mas confirmou a versão de Paes sobre o encontro com Delcídio
Prefeito do Rio disse ter um acordo com o senador Romário (PSB) por apoio à candidatura do secretário Pedro Paulo (PMDB) em 2016, caso o ex-jogador não se candidate à Prefeitura; o peemedebista negou, no entanto, que o entendimento envolva uma suposta conta do ex-craque na Suíça, bem como sua ocultação; segundo Eduardo Paes, o encontro citado na gravação que baseou a prisão do senador Delcídio Amaral (PT-MS) tinha como objetivo a discussão de um projeto de lei no Senado; Romário negou o acordo, mas confirmou a versão de Paes sobre o encontro com Delcídio (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse nesta quinta-feira (26) ter feito um acordo com o senador Romário (PSB) por apoio à candidatura do secretário executivo do governo municipal, Pedro Paulo de Carvalho (PMDB), caso o ex-jogador não se candidate à Prefeitura da capital. O peemedebista negou, no entanto, que o entendimento envolva uma suposta conta do ex-craque na Suíça, bem como a sua ocultação.

"Tenho um entendimento com o senador Romário de que, se ele não vier candidato, ele vai apoiar o Pedro Paulo", afirmou Paes, durante a inauguração do estádio de canoagem slalom, no Complexo Esportivo de Deodoro, onde será disputada a modalidade nas Olimpíadas.

De acordo com o prefeito, o encontro com Romário citado na gravação que baseou a prisão do senador Delcídio Amaral (PT-MS), nesta quarta-feira (25), tinha como objetivo a discussão de um projeto de lei no Senado, de autoria do ex-jogador com o senador José Serra (PSDB-SP), que tratava da dívida de estados e municípios.

Em julho deste ano, a 'Veja' publicou um extrato bancário de uma suposta conta de Romário na Suíça. O ex-jogador foi ao país europeu e disse que, após conversar com o banco, o extrato era falso. A instituição confirmou a versão do ex-jogador.

Na conversa gravada entre o senador Delcídio do Amaral e o advogado de Néstor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobras, o defensor afirmou que Romário teria mesmo a conta na Suíça. Mas que teria retirado para não ser preso. A conversa teria ocorrido no começo de novembro.

"O Delcídio não diz em nenhum momento coisa de conta na Suíça que não existe", disse Paes. "Acho lamentáveis essas acusações, enquanto já foram desmentidas até pelo veículo de imprensa que publicou esta notícia".

Romário nega acordo e conta da Suíça

Pelo Facebook, o ex-craque também negou ter contas na Suíça. "Galera, sobrou de novo para mim. Está brabo o negócio", disse ele. "O advogado levanta suspeita sobre um assunto que já foi esclarecido por mim e pelas autoridades brasileiras e suíças. Aqueles que novamente fazem acusações inverídicas claro que responderão à Justiça. Qual a credibilidade do advogado de um bandido, corrupto e responsável por roubar uma das principais empresas do país?", questionou.

Ele confirmou a reunião com Delcídio, mas destacou que o motivo era a discussão do projeto de lei, como afirmou Paes. "Encontrei o senador Delcídio Amaral no dia 4 de novembro, quarta-feira, para tratar da votação de um Projeto de Resolução do Senado (PRS 50/2015), do senador José Serra, do qual fui coautor. Na ocasião, foi feito um pedido ao senador Delcídio Amaral, que preside a Comissão de Assuntos Econômicos, para agilizar a tramitação do projeto, que tinha o senador Ricardo Ferraço como relator", afirmou Romário.

"Participaram da reunião o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, o secretário de Governo, Pedro Paulo, e o senador Ricardo Ferraço. Todos diretamente interessados na aprovação dessa resolução, que propôs o fim de barreiras à cessão de dívida ativa de estados e municípios. Esse foi o teor da reunião", acrescentou.

No final do texto, o ex-jogador fez referência às supostas contas na Suíça. "Infelizmente, o dinheiro não é meu. Digo infelizmente porque, com certeza, se fosse meu, seria fruto de muito trabalho honesto".

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247